Toca o telefone, é minha mãe. Eu tenho 295 coisas pra fazer, mas por incrível que pareça, ela não percebe.

-Camila?

-Oi mãe, tudo bem? Espera aí… Jú, fala pro André tirar duas cópias desse documento? Brigada… Oi mãe, desculpa.

-Estou aqui na sua casa e ele está no meu colo!

-Ai que fofo…

-Tá tão cheiroso, acabou de sair do banho.

-Ahã…

-Foi você que comprou esse carrinho pra ele?

-São duas copias, André, por favor. Oi, mãe?

-O carrinho!

-Que tem o carrinho?

-É um perigo…

-Como assim?

-Ah, já joguei fora… ele pode engolir uma daquelas pecinhas pequenas e ficar engasgado! Você tem que pensar nessas coisas na hora de escolher o brinquedo.

-Mas eu acabei de comprar o carrinho pra ele!

-Não, não… a gente acha alguma outra coisa que ele goste. Que horas você volta?

-Mais tarde… Deixa na mesa do Paulo, por favor?

-Oi?

-Não, mãe… é a Melissa que entrou aqui na sala, desculpa. O que você estava falando mesmo?

-Dos brinquedos pra ele, a gente pode sair pra comprar amanhã!

-Amanhã não consigo, é meu rodízio e saio tarde do escritório… Posso te ligar em 5 minutos que a outra linha tá tocando?

– Alô filha? Coloquei no viva voz, ele tá ouvindo a sua voz! Você precisa ver a carinha dele!

-Mãe? Mãnhêêêêê?

-Cadê? É a mamãe? Filha, ele tá todo agitado, você precisa ver!

-Mãe, ele não deve tá entendendo nada! Deixa eu te ligar depois?

-Tá bom, mas olha, fica despreocupada! Ele já almoçou, comeu quase tudo!

-Sei…

-E agora pouco tirou o maior sono no sofá.

-Sei…

-Vou deixar a televisão ligada no Cartoon e mais tarde ligo pra te dar mais notícias.

-Mãe, ele é um cachorro.

 

Foto: Reprodução