Foto: Pixabay

Por Diana Motta

É surpreendente pensar que ainda hoje as pessoas não sabem o que é a astrologia. Mesmo eu, antes de começar a estudar a kabbalah, não levava astrologia a sério, achava que era bobagem, escutava a palavra astrologia e pensava em revista de fofoca, naqueles horóscopos “genéricos”. Achava que era besteira. Não pensamos a astrologia como uma ciência ou como uma sabedoria. Mas a astrologia é uma sabedoria. 

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Quando olhamos para o céu, vemos na verdade uma força que nos afeta. Tudo o que acontece no céu influencia a terra. A definição da astrologia é: uma sabedoria que decodifica a energia e a informação que os planetas e as constelações mandam. A astronomia é uma ciência que estuda os atributos físicos dos corpos celestes, que tipo de elementos e matérias os constituem: gás, líquido etc. A configuração física desses elementos também é significativa, pois eles emanam energias que influenciam nossas vidas. Por isso a astrologia e a astronomia andam de mãos dadas.

Sabemos que na kabbalah, todas as aberturas cósmicas estão conectadas, como na astrologia. Todas as aberturas cósmicas estão conectadas com a astrologia. A cabeça do mês, que é a Lua Nova – Chosh Chodesh, em hebraico – nos dá a energia de começo, é um dia para plantar sementes, e nos dá a possibilidade de controlar aquele mês específico por inteiro. 

O 15º dia do mês, é o dia em que o movimento da Lua está no meio de seu ciclo. É um dia para brilhar, o dia da Lua Cheia. No último dia do ciclo há a energia de fechamento, é um momento para tirar conclusões. Então, acompanhamos esses movimentos. A kabbalah anda junto com o ciclo da Lua. 

Quando olhamos o céu e analisamos os planetas entendemos sua influência. Entendemos que há energias que desafiam e outras que trazem oportunidades. A kabbalah com a astrologia sabem exatamente quais são essas janelas cósmicas, por isso a kabbalah e a astrologia andam juntas.

Por que fazer seu mapa astral cabalístico?

Muita gente não sabe quem é, qual é a sua missão, quais são suas maiores dificuldades. Quando nascemos, a kabbalah diz que já viemos com uma missão. Temos um contrato com o Criador. Antes de descermos para o mundo físico, existe um anjo que toca o corpo da pessoa e apaga da sua memória racional esse contrato. No contrato está escrito como podemos nos desenvolver e como podemos evoluir. O que viemos fazer nessa vida e como nos conectar com o Criador. O que precisamos para nos tornar um com o Criador. Então concordamos com isso, assinamos esse contrato. Esse contrato é a imagem do céu na hora em que a pessoa nasce. Quando uma pessoa nasce, tiramos uma foto do céu, e esse é o código do seu contrato. Seu mapa astral. Essa é a configuração da jornada da alma da pessoa. Então podemos ver de onde a pessoa veio, o que veio construir. E o que é preciso para a pessoa se tornar um com a Luz. De onde ela vem, para onde ela tem que ir, sua correção espiritual. 

Hoje em dia vemos muitas pessoas perdidas. Elas não sabem com quais ferramentas vieram e como desenvolvê-las. Com o mapa é muito claro entender qual é a história da pessoa, o que ela veio fazer aqui. Quando chegamos ao mundo físico, esquecemos do nosso contrato. Com o mapa astral cabalístico conseguimos ver qual a história daquela alma, e as oportunidades para se alinhar com as forças que estão em jogo no universo. Vemos vidas passadas e compreendemos as vantagens e desvantagens de um determinado quadro de referência. Assim, a astrologia pode ecoar o passado, o presente e o futuro de um indivíduo a partir da interpretação desse mapa.