Escorpião – Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Por Diana Motta

Para escrever sobre o ciclo de Escorpião, convidei meu colega, amigo, professor de kabbalah e astrólogo Amir Rehan para conversar. Rehan nasceu no Brasil, filho de pai muçulmano paquistanês e mãe cristã brasileira, o que contribuiu para seus diferentes pontos de vista sobre espiritualidade. Tendo vivido oito anos no Paquistão, ele aprendeu sobre a cultura islâmica e sua doutrina espiritual. Quando voltou a Brasilia em 2005, entrou para o Kabbalah Centre e imediatamente se tornou um estudante dedicado da Kabbalah. 

Desde 2009, Rehan é professor de kabbalah, instrutor pessoal e astrólogo cabalístico, fez leituras em português, além de hindi e urdu. Ele acredita fortemente que por meio da observação profunda das posições do planeta, com o conhecimento cabalístico do dia, da semana e do mês de nascimento de uma pessoa, pode-se reconhecer a simetria oculta que revela a beleza espiritual de uma pessoa.

Rehan, assim como eu, tem grande influência do signo de Escorpião em seu mapa astrológico, e por essa razão o escolhi para falar sobre esse signo. Ele explicou que “de acordo com a kabbalah, Escorpião é o signo que mais tem a potência de cair e se levantar”.

A seguir, Rehan desmistifica alguns clichês sobre o signo de Escorpião, considerado um dos ciclos mais desafiadores do ano, e aponta um caminho para tirar o melhor proveito desse período com a ajuda do cosmos:

Por que Escorpião é um signo considerado de muito poder e ao mesmo tempo tem tantos medos?

Existe um segredo da Kabbalah muito profundo sobre isso, que nenhum signo do zodíaco consegue captar melhor do que o Escorpião. Uma das principais fontes da astrologia cabalística é um antigo texto escrito mais de 4.000 anos atrás, chamado Sefer Yetzira, que atribui a cada signo uma “letra” do hebraico que possui o segredo sobre a energia do signo. E a letra que governa Escorpião é a Nun, que cria a palavra “queda”. De todos os signos do zodíaco, Escorpião é o que mais tem a potência de cair e se levantar (no segredo do renascimento, ressurreição, regeneração). Nossa função como seres humanos não é subir para a Luz – na verdade estamos aqui para cair no escuro e depois levar tudo para a Luz. Afinal de contas, somente assim vamos conseguir depois ajudar outras pessoas com a mesma queda, ferida. Logo, Escorpião vai para o escuro (medos etc.), e sai de lá com a maturidade espiritual mais forte do zodíaco que o torna apto a ajudar outras pessoas a partir da compreensão que adquiriu durante o processo de escuridão. O importante é compreender isso e não ficar preso no escuro, que é possível caso a pessoa não compreenda o propósito temporário de experimentar o escuro.

Por que a reputação do Escorpião é tão polêmica…? De onde isso originou?

Grandes almas da humanidade como Raquel, a Matriarca, uma das mulheres que segundo a Kabbalah mais atingiu elevação espiritual e liderança – e Benjamin, filho de Jacó, que foi o líder espiritual de uma das tribos na época – eram do signo de Escorpião. Existe uma discussão que o rei David, autor do salmos, também é de Escorpião. Na visão do profeta Ezequiel nas escrituras, ele enxerga quatro animais – leão, touro, águia e ser humano, em referência ao eixo Leão-Aquário, Escorpião-Touro. Ele enxerga escorpião representado pela águia que é capaz de atingir as alturas como poucos animais, e tem a visão privilegiada “de cima”. Não por acaso, a intuição no signo de Escorpião é a mais potente do zodíaco. O motivo da reputação negativa de Escorpião é justamente pela falta de conhecimento sobre a essência do signo, e a visão superficial da astrologia. Todos os signos possuem uma polaridade positiva e negativa. No caso de Escorpião, a intuição pode se distorcer em desconfiança. A intensidade de Escorpião pode ser canalizada para fins destrutivos, porém, é tudo uma questão de escolher a direção. Por isso é recomendável a todas as pessoas de Escorpião mergulharem profundamente em estudos espirituais, pois isso dá o foco para a energia, e ele pode aproveitar sua Luz privilegiada da melhor forma, erradicando qualquer aspecto negativo de sua constelação (para algumas pessoas, a vingança – para outras, a inveja, para outras, o medo, ou crença de ameaça e perseguição – e assim em diante).

Certa vez eu li que a astrologia cabalística associa o escorpião com diferentes animais. Quais são eles?

Sim, conforme mencionei na resposta anterior, o profeta Ezequiel enxerga Escorpião como sendo a águia, que representa a intuição, a visão acima da lógica. Escorpião, na astrologia cabalística, é representado por três animais: pela serpente, pelo escorpião, e pela águia. São três níveis. A serpente representa o animal que está no ponto mais baixo (caído), e a águia no ponto mais alto. Isso significa que Escorpião consegue atingir uma compreensão muito forte do que é estar no ponto mais baixo – e ele deve se colocar como uma fonte de Luz para aqueles que estão em dor e sofrendo.

O que você diria sobre a inveja, que é tão associada ao signo de Escorpião em diversas linhas de astrologia?

Existe um conceito na Kabbalah que toda negatividade nasce de uma essência positiva, pois tudo no nível de semente é positividade. Este local puro foi chamado pelos cabalistas (e pelos gregos) de chama “yuli”. Podemos investigar a pureza e positividade por trás de absolutamente qualquer traço negativo. Sim, claro, uma vez que ele se desvia de sua fonte, passa a ser negativo e a pessoa precisa trabalhar naquele ponto. A inveja nasce de uma fonte muito pura: é o desejo de receber mais do Universo. Segundo a Kabbalah, estamos aqui para apreciar tudo que temos, maximizar a gratidão – ao mesmo tempo, abrir para receber mais. A falta de desejo, a indiferença, o conformismo é mais “grave” do que a inveja, pois a inveja indica desejo! Na astrologia cabalística, cada signo possui um elemento externo e um interno. O elemento externo é conhecido por todos: Escorpião é o elemento água. Mas o elemento interno é fogo = desejo, paixão e intensidade. O escorpião tem um fogo interno que é justamente a causa de sua imensa paixão e desejo = que pode resultar em inveja, mas na essência (no nível que os gregos e cabalistas chamam de “yuli”) é muito positivo, e a pessoa de Escorpião precisa ter cautela para não deixar a inveja sair do controle.