Em foco: a euforia de um Natal "in real life"
Foto: Dani Zezza

Por Camila Salek

Já repararam como as pessoas andam cansadas de tudo que as cerca? Estudiosos dizem que estamos em um contexto de sociedade saturada, fruto da não socialização, do enfrentamento diário de perdas e de um grande desequilíbrio entre esforços e recompensas. Este cansaço é apenas um dos saldos de tudo isso.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

É muito importante sairmos do piloto automático para entendermos que vivemos momentos desafiadores e que passamos por eles. Neste ano que se encerra, cabe a cada um de nós a decisão humana de parar, pensar e se reconectar com todos os aprendizados vividos, abrindo espaço para iniciar uma nova fase. Experimente olhar para dentro de si. Esta não é uma tarefa fácil, mas, ao olharmos para dentro de nós mesmos, tenho certeza que iremos enxergar o renascimento de uma sociedade a caminho da cura e pronta para construir um mundo melhor, carregando a experiência de uma grande superação. Meu convite aqui é sairmos do modo “saturado” para o modo “otimista” de vida.

A euforia pelo fim de ano já nos mostra este processo de renascimento acontecendo. Até porque neste Natal ninguém quer ver seus familiares por meio de uma tela mais uma vez. Não dá mais. Segundo a plataforma de tendências londrina Stylus, “os encontros da vida real (IRL) com seus entes queridos adquirem agora uma ressonância emocional mais profunda, depois de lamentar sua ausência no último Natal. As pessoas querem reacender experiências táteis, atmosféricas e multissensoriais. É tudo sobre o apelo primordial da união social que aumenta a endorfina”.

É exatamente este o mood positivo que vem desenhando uma celebração de Natal que vai entrar para a história. Impulsionado pela aceleração das vacinações, flexibilização de medidas de isolamento social e perspectivas positivas da retomada do consumo, o fim de ano será marcado pela expansividade e socialização das celebrações.

Este otimismo é tão grande que marcas varejistas que passaram meses de portas fechadas durante as fases mais restritas da pandemia se planejaram para oferecer experiências incríveis em suas lojas físicas. Aliás, eu tenho dedicado meus últimos seis meses para construir, ao lado de grandes marcas, algumas experiências que vocês vão encontrar em milhares de ambientes espalhados por este nosso Brasil. Segundo uma pesquisa recente da Confederação do Comércio, as vendas de Natal devem movimentar 34,3 bilhões de reais este ano! Um alívio depois de tempos tão difíceis.

Mas, para mim, o mais importante é o que está por trás de resultados numéricos: teremos um Natal de significados na vida real. Esta é a minha maior aposta. Nossas casas estarão decoradas com elementos especiais e que contam histórias, os presentes serão comprados pensando em cada pessoa de forma intencional, elementos nostálgicos serão resgatados. Tudo que faça sentido e tenha significado de forma individual para cada um de nós. Estaremos eufóricos para celebrar a vida.

Vejo um Natal vibrante, colorido, divertido, cheio de brilho e que utiliza elementos tradicionais de forma totalmente nova. Só de olhar para minha foto acima, dá pra sentir um pouquinho desta vibração! Neste shooting, feito especialmente para esta coluna, sonhei com bolas de Natal gigantes, como numa grande festa disco, em um universo lúdico que me traz muita esperança!

Podemos nos preparar para um Natal de socialização na vida real. Alguns talvez ainda não estejam prontos, mas muitos irão viver momentos de muita felicidade ao voltar às celebrações presenciais. É tempo de tirar os bons looks do armário, reviver as horas na frente da penteadeira, retomar dinâmicas de amigo-secreto e perceber que até mesmo as incansáveis confraternizações corporativas de fim de ano fizeram falta!

Sei que ainda estamos em uma pandemia e que nosso País nos impõe um contexto de dificuldades, mas o fim de ano de 2021 chega se desenhando como um marco de renovação. Brinde, dance, festeje, ame e viva a euforia de um Natal da vida real!

Camila Salek é sócia-fundadora da Vimer Retail Experience Merchandising e colunista da Harper’s Bazaar Brasil