Fim  de ano é época de retrospectiva. E a gente começa com o melhor que rolou da música internacional, em 2011. Siga com a gente.

Lady Gaga e Britney Spears dividiram os holofotes ao lançar seus novos álbuns, no início da temporada. Adele causou estardalhaço e virou campeã mundial de vendas com o disco 21 (mais de 12 milhões de cópias). Katy Perry se tornou a primeira artista da história a passar 52 semanas consecutivas no Top 10 da Billboard. E Beyoncé e Rihanna ferveram as redes sociais, com seus últimos trabalhos. Enquanto a cantora caribenha vendeu muito mais, a Sra. Jay-Z virou trending topic ao anunciar sua gravidez ao vivo, na TV.

Também vimos uma série de novas estrelas surgirem em 2011, tanto no mainstream, quanto no cenário indie. A rapper Nicki Minaj se cosolidou no topo do showbiz e teve até uma boneca Barbie feita a sua imagem e semelhança. Na cola da moça, surgiu a também nova-iorquina Azealia Banks, rapper de versos irônicos e acelerados. Isso sem falar na grande novidade de 2011 no cenário indie; a cantora de lábios carnudos e voz rascante, Lana del Rey.

Mas os meninos não ficaram totalmente apagados em 2011. Jay-Z e Kanye West juntaram forças para reagir contra a dominação feminina, e lançaram juntos o disco Watch the throne. Justin Bieber continuou bombando, só que foi fisgado por Selena Gomez e se viu em maus lençois quando Mariah Yeater foi a público dizer que estava grávida do astro teen.

Mulheres em evidência também em um dos momentos tristes do ano. Perdemos uma das vozes mais incríveis do século 21: a soulwoman Amy Winehouse, que morreu em 23 de julho. Ainda assim, ou até por isso mesmo, seu disco póstumo chegou ao topo das paradas britânicas.