Especial Dia Internacional da Mulher: Karla Batista
Foto: Divulgação

Durante a faculdade Ciências Biológicas, pensando nas trocas que acontecem em meio aos processos criativos, Karla Batista deu contornos à Azulerde.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

“A partir daí, comecei a fazer várias colaborações com artistas urbanos e plásticos, o que se tornou importantíssimo para a consolidação da marca, já que as ideias se baseavam em conceitos teóricos ligados à arte visual, tratando de momentos de vanguarda até a atualidade”, diz a designer de joias.

Não é à toa que a grife adotou como slogan as “inspirações urbanas para ressignificar a contemporaneidade”. Prova dessa essência pode ser vista na nova coleção batizada de Lírica do Tempo, cuja influência aponta para a sueca Hilma af Klint, artista que bebeu na fonte do primitivismo.

“Ela viveu em uma época complexa, não se casou, não teve filhos, não seguiu padrões e mesmo assim conseguiu ser uma artista de excelência no século 19. Imagine quantas outras narrativas não existem por aí e que foram negligenciadas por serem protagonizadas por mulheres. É dessa dúvida que insisto em incluir referências históricas e provocativas em minhas concepções”, analisa Karla Batista.

A moça, que é adepta do upcycling – tendência cada vez mais presente no universo da moda –, conta que ainda encontra dificuldade em comprar materiais descartados. “Parece que as empresas se incomodam com gente atrás do lixo deles…”, emenda.

Hoje, Karla tem plena consciência do seu poder artístico e da inclusão que representa em um mercado em constante mutação: “Às vezes, sinto as mulheres muito fragmentadas, e não entendo a razão de empreendermos sozinhas em vez de priorizar a construção de redes. O cenário já é injusto devido ao machismo, então não faz sentido que a concorrência entre as mulheres seja mais forte do que a sororidade. Para mim, o sucesso de qualquer negócio depende da constituição de uma rede de contatos saudável, além da troca permanente de conhecimento. É importante conversar, acolher e apoiar outras empreendedoras, e sempre confiar no seu trabalho.”