Foto: Divulgação

O chamado estilo industrial já está em alta há anos e veio para dar às casas um ar moderno, sem deixar de ser uma opção barata que leva personalidade à arquitetura e decoração dos ambientes. Como o nome já diz, essa estética consiste em não só deixar a amostra, como também valorizar elementos da casa que remetem às fábricas.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

A princípio, quando esse estilo surgiu, expor canos e estruturas metálicas não era intencional, mas atualmente essa estética é aderida por diversos designers.

Marcado por elementos da arquitetura bruta, a composição industrial teve início no século 20, mais especificamente em 1960, na cidade de Nova York. Nesse período, a população crescia de maneira acelerada e as famílias tiveram de adaptar espaços para moradia.

As fábricas e os galpões que não estavam mais sendo utilizados para produções passaram a ser ocupados. A ociosidade desses locais foi resultado das perdas financeiras que atingiram os Estados Unidos durante a crise dos anos 20.

Os espaços que conhecemos hoje como lofts, apartamentos amplos e com conceito aberto surgiram. Isso porque não havia divisões com paredes, já que anteriormente o local continha grandes máquinas e um grande fluxo de trabalhadores.

Assim como o tamanho dos espaços, outras características da indústria foram mantidas, como paredes de acabamento rústico com tijolos à mostra, cimento na área interna e tubos e canos à mostra. Os anos se passaram, os lofts nova iorquinos foram valorizados, essas características brutas passaram por ressignificações e hoje representam modernidade.

Como aderir ao estilo industrial?

Uma das maiores vantagens dessa estética é que, assim como ela surgiu de maneira simples, sua aplicação em novos ambientes também não requer muitas adaptações. O principal é valorizar o que geralmente é escondido na estrutura de casas comuns e envolver a reutilização de objetos realmente vindos da indústria ou que remetam a fábricas na decoração.

Revestimentos

A proposta é o inacabado. Para quem está construindo ou fazendo grandes reformas, a tarefa de deixar canos e tubulações do lado de fora fica ainda mais fácil. Aos que não querem ter tanto trabalho, uma opção é usar papéis de parede que imitam tijolos para lembrar o conceito de forma simples. No chão ou em algumas paredes, o cimento queimado também faz o papel de inspirar modernidade, além de ser um material de valor mais baixo do que outros revestimentos.

Cores

As cores devem remeter à atmosfera urbana. Preto, branco e cinza são as básicas, mas tons terrosos e sóbrios são bem-vindos da mesma forma. É importante lembrar que o ambiente ainda é uma casa, então adicione pequenos detalhes coloridos, em partes menores ou em objetos decorativos, para manter o alto astral do ambiente.

Decoração

O charme do estilo industrial é o poder de causar a sensação de déjà vu aos que visitam a casa. Os espaços devem fazer lembrar características das fábricas. Esse resultado pode ser obtido a partir da reutilização de materiais realmente vindos de produções industriais, como partes de maquinários e madeiras rústicas.

Para quem não quer arriscar na adaptação de peças, é possível encontrar para vender decorações em ferro moldadas e soldadas com eletrodo revestido, por exemplo. O importante é que elas mantenham as características do estilo, como as linhas retas e a aparência desgastada.