Oskar Metsavah em seu apartamento no Arpoador. À dir. os livros e pranchas do estilista compõe o decor cool de sua morada - Fotos: Beto Gatti
Oskar Metsavah em seu apartamento no Arpoador. À dir. os livros e pranchas do estilista compõe o decor cool de sua morada – Fotos: Beto Gatti

por Sylvain Justum

A Osklen talvez seja a grife brasileira que mais próximo chegou do equilíbrio ideal entre a almejada e perseguida identidade made in Brazil e o apelo global necessário para ser reconhecida em qualquer continente como produtora de boa moda, ponto. Sem folclore e sem os regionalismos que, sozinhos, pouco fazem sentido do outro lado do Atlântico. Oceano este que praticamente invade o apartamento carioca de seu criador, Oskar Metsavaht, no Arpoador. Oskar vive ali há quatro anos, com a mulher, Nazaré, e os três filhos, Maria Caetana, Felipe e Tomás. Projetada a seis mãos pela arquiteta Sylvia Moura e pelo casal, a morada dos Metsavaht guarda um charme de work in progress, no qual cada detahe transpira lifestyle.

Prancha esculpida e pintada no gesso pela irmã, Ana Amélia Metsavaht, mesa comprada em um antiquário em NY e cadeira Luís XV do acervo da família - Fotos: Beto Gatti
Prancha esculpida e pintada no gesso pela irmã, Ana Amélia Metsavaht, mesa comprada em um antiquário em NY e cadeira Luís XV do acervo da família – Fotos: Beto Gatti

O mergulho no tropicalismo cool de Oskar começa já no hall do elevador com o inconfundível aroma Vento (o mesmo que você respira nas lojas e nas roupas recém-compradas da Osklen) nos dão as boas-vindas. À imagem e semelhança do dono da casa.No chão, uma dezena de fotografias de cenas cariocas, em preto e branco, tiradas pelo anfitrião, separadas e emolduradas para uma exposição em Buenos Aires. Ao lado delas, também no chão, o toque de cor da sala: o quadro Natureza morta de Monet, de Vik Muniz, vizinho e amigo, e outro, enorme, de Janaína Tschäpe, batizado de Entangled. “Gosto de ter obras dos amigos, em quem eu acredite e com quem tenha alguma ligação emocional. Não compro arte por comprar”, explica. De fato, além dos dois nomes citados e das fotos de autoria própria, apenas uma prancha pintada no gesso por sua irmã, a artista plástica Ana Amélia Metsavaht, decora a sala de jantar.

Oskar contempla a tela "Arpoador" de Ana Amélia Metsavaht - Fotos: Beto Gatti
Oskar contempla a tela “Arpoador” de Ana Amélia Metsavaht – Fotos: Beto Gatti

De seu ídolo e modelo de estilo, Pablo Picasso, Oskar tem vários livros, de diversas épocas, espalhados pelas diferentes mesas. Na da sala do meio, mais livros sobre os estilistas Pierre Cardin, Azzedine Alaïa e Valentino e um de Andy Warhol, entre tantos mais. Aos pés da mulher nua, fotografias do amigo e cineasta Marcos Prado, companheiro de expedição ao Tibete, onde foram feitos os registros. Todas dispostas no piso de granito, junto de uma das várias pranchas de surfe e skate que Oskar mantém em casa. Na janela, um telescópio aponta para a Pedra do Arpoador.“Uso para observar os surfistas pegando onda. O Arpoador é o meu lugar. Adoro a mistura de gente que há nesse canto, nos damos bem com os dois lados.”

Detalhes do decor brasileiríssimo do apartamento do estilista - Fotos: Beto gatti
Detalhes do decor brasileiríssimo do apartamento do estilista – Fotos: Beto gatti

Assine a Harper’s Bazaar