Sylvain Justum e Frida Gianini - Foto: Divulgação
Sylvain Justum e Frida Gianini – Foto: Divulgação

Por Rinaldo Zirrah, do SiteRG

O Rio de Janeiro amanheceu nesta sexta-feira (30.05) com um perfume italiano. É que Frida Giannini, diretora de criação da Gucci, está na cidade para promover o projeto Chime For Change, que cada vez mais tem tomado espaço na mídia e elevado a voz de várias mulheres em todo o mundo com seu lema de educação, justiça e saúde.

Em um bate papo informal mediado pelo editor de moda da Harper’s Bazaar Brasil Sylvain Justum, os convidados – que lotaram o auditório do Museu de Arte do Rio, o MAR, ali na Praça Mauá, no Centro – puderam ouvir de perto Frida, muito simpática e um tanto quanto tímida, que falava não só sobre seu projeto social como também um pouco de sua trajetória profissional.

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

“Sempre fico nervosa antes de um desfile. Não é só no dia anterior, são dias! Mas tenho sorte de ter um time muito bom e que consegue fazer tudo dar certo”, responde ao ser perguntada por Sylvain sobre como reage às vésperas de um fashion show.

“Meu maior desafio é me colocar no lugar de alguém que está lidando com uma grande marca internacional, que sempre fui fã”, continua. Depois de tantos boatos sobre sua saída da Gucci, Frida diz que no momento está muito feliz na marca e que não pensa, por ora, em sair. Nem mesmo para abrir uma “Maison” Frida Giannini.

Frida Gianini e Camilla Belle - Foto: Divulgação
Frida Gianini e Camilla Belle – Foto: Divulgação

Esta é a primeira vez que Frida vem ao Brasil. Com eventos poderosos em São Paulo e uma passagem rápida ao Rio de Janeiro (ela volta neste sábado, 31 de maio, para casa), contou que a imagem que tinha do Rio era de que tudo era um grande Carnaval. “O espírito [do Rio] é passional, muito colorido, todos sorriem. Como venho do sul da Itália, me sinto tão latina quanto vocês”, conta.

Ao ser perguntada sobre o que pensa do mercado de luxo no Brasil e na América Latina, Frida diz que “é interessante a gente vira para cá pois é um desafio. É tudo novo, uma cultura diferente. Quero voltar pro Brasil quando tiver tempo livre para conhecer mais. É sempre bom vivenciar a experiência”.

Após isso, foi o momento de apresentar um vídeo sobre o projeto Chime for Change e começar um papo sobre ele. Sylvain Justum começa a conversa salientando que nosso País tem inúmeros casos de violência contra a mulher. “Educação é a base de tudo. Com ela você pode se comunicar. E podemos dar apoio e oportunidades para meninas que vivem em favelas. Fico em choque quando percebo a beleza da cidade [ Rio ] e ver tanta desigualdade social. Precisamos lutar para mudar isso. É o que o Chime for Change faz”, diz Frida. “O que mais me deixa orgulhosa é que a campanha [do projeto ] se tornou internacional, com muitas celebridades e países apoiando. E o legal é que pode-se escolher o projeto que quer ajudar. Estamos cada vez mais procurando novo embaixadores para isso”.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em nosso país, o projeto Chime For Change ajuda três ONGs: a Redes da Maré, Universidade das Quebradas e Instituto Pretos Novos.

O evento finalizou com um coquetel servido no próprio Museu de Arte do Rio. Papo para lá de bom e com um gostinho de quero mais. Frida mandou seu recado.