Macarons – Foto: Divulgação

Em tempos de quarentena, fazer uma visita a um restaurante amado é uma atividade quase impossível, já que a recomendação principal é de ficar em casa. Apesar disso, passar tanto tempo confinado com a família ou colegas pode ser muito desafiador, já que aos poucos as atividades se tornam repetitivas, a comida parece sempre a mesma e o clima entre os membros da casa fica mais tenso.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Para quem tem crianças em casa, o desafio cresce, uma vez que os pequenos se sentem presos e ficam facilmente agitados, tornando mais difícil manter a atenção nas atividades escolares ou dormir tranquilamente. A culinária é uma ótima maneira de ajudar a família a se conectar, além de ser um momento de criatividade e diversão para a criança.

Outros eventos que quebrem a rotina, como jantares temáticos com comidas típicas, colaboram para deixar o dia a dia mais divertido, além de matar a saudade de comer algo diferente ou visitar um país novo. Confira algumas receitas que não podem ficar de fora da sua viagem gastronômica.

Macarons – França

Para quem gosta de bons doces para degustar junto com um chá ou como lanche da tarde, o macaron pode ser uma opção interessante. Com sabor e textura únicos, com a superfície crocante e o interior macio, além da aparência fofa, este doce, considerado uma especialidade da região de Lorraine, na França, já conquistou o coração de muitos amantes da confeitaria.

A receita leva somente quatro ingredientes: açúcar cristal, clara de ovo, açúcar de confeiteiro e farinha de amêndoa, além do corante, que é opcional. Além da massa, que deve ser preparada de maneira delicada, é preciso preparar um recheio, que ficará entre dois biscoitos, resultando na aparência já muito conhecida do macaron.

O doce, que tem sabor suave, combina bem com chás de frutas ou bebidas frescas. Ele pode ser armazenado em potes de vidro transparentes ou em um prato de vidro decorado, servindo quase como um objeto de decoração.

Kimchi – Coreia do Sul

Kimichi – Foto: Pixabay

O kimchi é um tipo de conserva tradicional da Coreia do Sul, sendo considerado uma das bases da alimentação e podendo ser consumido nas três principais refeições do dia. Para prepará-lo, coloque as folhas raladas ou picadas de uma acelga ou de um repolho-chinês em um recipiente com água e sal misturados e conserve na geladeira ou em temperatura ambiente por 12 horas.

Enquanto isso, prepare uma pasta de pimenta coreana, misturando gengibre e quatro dentes de alho moídos com farinha de arroz, páprica picante ou pimenta malagueta em pó, açúcar, molho de peixe e sementes de gergelim, até obter uma pasta consistente.

Depois das 12 horas, escoe as folhas da acelga ou do repolho-chinês e misture com a pasta de pimenta, mexa bem e armazene tudo em potes de vidro esterilizados específicos para conserva, deixando um espaço livre para a fermentação. Deixe na geladeira por, pelo menos, três dias – quanto mais tempo a mistura ficar armazenada, mais forte será o sabor. Depois de pronto, o kimchi pode ser usado como acompanhamento para peixes, carnes e até ser consumido com arroz.

Pizza – Itália

Pizza – Foto: Pixabay

Apesar de a pizza não ser uma prato criado na Itália, foi no país europeu que ela ganhou várias das características pelas quais é conhecida hoje. A pizza napolitana tradicional ganhou o título de patrimônio imaterial da humanidade, um exemplo de como esse prato atingiu novas nuances após ter chegado à Itália, se tornando um dos símbolos do país.

É possível encontrar várias opções de massas de pizza pronta ou semipronta, sendo necessário somente rechear. Para quem tem crianças em casa, a tarefa de montar a pizza pode ser muito divertida. A decoração também deve ser feita com cuidado; uma ideia é simular uma cantina italiana, com bastante iluminação, toalhas coloridas com as cores da bandeira do país, além de pratos redondos e grandes. Bandeirinhas espalhadas pela casa podem ajudar a criar um clima ainda mais divertido.