Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

No último domingo (7), a fast-fashion sueca H&M foi acusada de racismo por conta de um anúncio que foi divulgado pela rede em sua loja virtual.  A imagem – que já foi retirada do ar, mostrava um menino negro usando um moletom estampado com os dizeres ‘macaco mais legal da selva’ (foto acima).

Diversas pessoas reagiram negativamente ao anúncio e se manifestaram nas mídias sociais. “Isso é inapropriado, ofensivo e racista. Por que a criança branca é uma ‘sobrevivente da selva’ e a negra é o ‘macaco mais legal’? Como vocês acham isso ok?”, comentou uma internauta.

“Isso é nojento e degradante, colocar este garoto em um moletom que diz ‘macaco mais legal da selva’, sabendo do histórico das pessoas em associar negros com macacos. Quem aprovou isso?”, criticou outra.

Nesta terça-feira (09.01) a H&M usou o Instagram para se retratar:

Foto: Instagram H&M
Foto: Instagram H&M

“Nós entendemos que muitas pessoas estão chateadas com a imagem da criança de moletom. Nós, que trabalhamos na H&M, só podemos concordar. Lamentamos que a foto tenha sido feita, e nos arrependemos. Portanto, não só removemos a imagem de nossos canais, como também retiramos a peça da área de vendas. É óbvio que nossas rotinas não foram seguidas corretamente. Isso não há dúvidas. Vamos investigar minuciosamente por que isso aconteceu para evitar que esse tipo de erro ocorra novamente”, divulgou a marca no post.