Foto: Divulgação

O Grupo Armani vê a responsabilidade social como um dos valores fundamentais da sua atividade e há anos que apoia e promove projetos de grande porte em diversos setores – social, cultural e ambiental. O Grupo anuncia agora novas iniciativas tangíveis, destinadas a apoiar as organizações sem fins lucrativos na luta contra a pandemia e a pobreza, bem como as que se centram na proteção do ambiente.

Doações

O compromisso corporativo do Grupo na emergência global continuou com a contribuição das butiques Giorgio Armani nas principais cidades europeias e mundiais, que, após o lockdown, doaram parte de suas receitas para cinquenta e duas associações que trabalham em suas respectivas áreas locais, incluindo Les Restaurants Du Coeur em Paris, The Trussell Trust em Londres, Florence no Japão, e China Soong Ching Ling Foundation.

O Grupo continuará a apoiar estas associações durante a época do Natal e renovará também a sua costumeira contribuição para a Opera San Francesco per i Poveri, a conhecida e popular organização milanesa que, através do refeitório do mosteiro dos frades Capuchin, ofereceu por mais de setenta anos, refeições gratuitas e uma gama de serviços para os necessitados e sem-teto, e para aqueles que não têm acesso à assistência pública.

Essas iniciativas estão ao lado da contribuição da Save the Children para um projeto em Moçambique que visa a maternidade e a saúde neonatal. O projeto, que envolve ações de segurança alimentar, programas de treinamento, informação e bem-estar, prevê atingir cerca de 26 mil adultos e 13 mil crianças em dois anos. A administração do Grupo também decidiu adicionar uma parte de seus salários à doação.

Meio Ambiente

A Emporio Armani mais uma vez se compromete a se envolver ativamente no desenvolvimento sustentável com um plano de expansão de áreas verdes em nove diferentes regiões do mundo onde a marca está presente, atuando ao lado de organizações locais específicas.

A iniciativa será lançada em Milão, onde Emporio Armani com a Câmara Municipal e Forestami apoiarão o desenvolvimento e valorização de áreas verdes dentro do território urbano. A partir de novembro, mais de trezentas árvores serão plantadas na cidade como parte do projeto lançado no ano passado que visa plantar três milhões até o final de 2030.

A ação ambiental será então estendida também a Londres, apoiando o projeto Green Roof; e para Munique e Nova Iorque, com o compromisso de manutenção de alguns parques da cidade; para Tóquio e para a região francesa de Saint Martin d’Ablois; algumas regiões do interior da Mongólia e algumas áreas da Austrália, para reflorestamento e ajudar a difundir uma nova cultura ambiental.