Heidi Klum em cenas de “Making the Cut” – Foto: Divulgação

Por Miriam Spritzer

Escolhas acertadas de Heidi Klum na moda – ela chegou a ser a modelo mais bem paga do mundo nos anos 2000 -, experiência nas passarelas e poses para capas de revistas corroboram para o posto de diva-mór em realities segmentados na TV.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Ela apresentou o “Germany’s Next Top Model” (versão alemã do programa que descobre new faces) e, por quase duas décadas, esteve à frente do americano “Project Runway”. Em 2018, ao lado do fiel escudeiro, Tim Gunn, percebeu que era hora de se reinventar e largou a competição focada em novos estilistas.

Tim Gunn e Heidi Klum em Paris, gravando o reality – Foto: Divulgação

Novamente a seu lado, agora comanda o “Making the Cut”, do serviço de streaming Amazon Prime Video. “Meu ‘casamento’ com o Tim é o mais longo que já tive na vida”, brinca a modelo e apresentadora de 46 anos, por telefone, em entrevista à Bazaar, de sua casa em Los Angeles. [Heidi já foi casada com o ator Ric Pipino e com o cantor Seal.

Em 2019, disse o “sim” para o guitarrista Tom Kaulitz, da banda Tokyo Hotel.] “São 16 anos juntos profissionalmente. Como todo relacionamento longo, chega uma hora em que as coisas ficam sem graça ou um pouco paradas. E isso aconteceu com a gente.”

O amor entre eles existia, mas o sentimento de que alguma coisa estava faltando se sobrepunha. “Algo que nos permitisse voar, com maior impacto na indústria. Queria que fosse relevante de verdade”, diz ela, sobre o novo projeto que não se restringe apenas a colocar sob os holofotes a criatividade de jovens designers.

Os jurados do reality: Joseph Altuzarra, Chiara Ferragni e Naomi Campbel – Foto: Divulgação

Eles precisam mostrar um mindset de empreendedorismo associado ao ineditismo: a Amazon também oferece a plataforma para os talentos venderem suas peças internacionalmente. “A gente buscou uma marca que pudesse realmente durar e ser amada pelo mundo”, conta, sobre os participantes.

Nos bastidores, Heidi ainda usa seu know how adquirido com assinatura de coleções para marcas como Victoria’s Secret (ela também fez parte do squad das angels), Birkenstock e New Balance.

A nova série reúne estilistas de diferentes países, e a apresentadora diz que sentiu falta dos brasileiros entre os inscritos. “A gente vê muito talento de moda que vem do Brasil. Há pouco tempo, vi imagens do carnaval do Rio e sempre me impressiona como há tanta arte no País. O trabalho manual é realmente espetacular”, elogia.

Com a amiga Naomi Campbell – Foto: Divulgação

Na conversa, também contou que ficou “encantada” pela cantora Pabllo Vittar, quando a drag queen brasileira fez uma ponta no reality “Queen of Drags”, do canal alemão ProSieben, coapresentado pela supermodelo.

No início de março, Heidi largou na frente das recomendações das autoridades de saúde e encarou o distanciamento social. Ela suspeitava ter sido contaminada pela Covid-19. Seu teste deu negativo, mas defende que a população fique em casa para achatar a curva de disseminação. “A única coisa que podemos fazer é viver um dia de cada vez. Pensar, observar, reavaliar tudo, tentar refletir e pensar ainda mais. Ninguém pode prever como o mundo vai ser depois, mas ainda temos de sobreviver a cada dia.”

Heidi e Tim Gunn: 16 anos trabalhando juntos – Foto: Divulgação

Apesar das mudanças de hábitos que acontecerão após a pandemia, ela revela que não vê um evento substituto às apresentações nas passarelas. “Para mim, ainda é a coisa mais emocionante do mundo assistir a um desfile ao vivo. Você, a passarela, os convidados em volta, o barulho. É indescritível.” O formato é tão importante que ela e Tim o trouxeram para o “Making the Cut”.

Atualmente em casa com os quatro filhos (Helene,15 anos, Henry,14, Johan, 13, e Lou, 10), Heidi brinca que “calma” é a única palavra de ordem que não se aplica à rotina. “Tenho de arrumar as camas, fazer café da manhã, almoço e jantar (para todos) e, depois, limpar tudo. Praticamente não paro”, ri. “Nossos cachorrinhos também fazem bagunça. Sinto que passo o dia em função dessas coisas que vão acontecendo sem parar”.