Foto: Divulgação

Por Carol Hungria e Ligia Kas

O Hotel Pestana São Paulo convidou os artistas Tico Canato, Nah Pinheiro, Elano Passos e Rogério Silva e os designers Davi Rezende e Mafê Stacchini para customizarem diversos espaços do hotel, trazendo arte, cultura e história para cada espaço.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

A experiência não podia ser melhor. Com quartos confortáveis e decorados com grafites, desenhos e pinturas, os ambientes do Hotel Pestana São Paulos se transformam em uma verdadeira imersão artística. E nós estivemos por lá para conhecer, e vale muito a visita.

Localizado a poucos metros da Avenida Paulista e a 1,3 km do Parque Ibiraquera, dois excelentes pontos turísticos, o Pestana São Paulo oferece conforto e praticidade nos seus ambientes totalmente “instagramáveis”, criados por artistas plásticos de diversas localidades do Brasil.

“Cada ambiente conta uma história que tem a sua singularidade, começando logo no lobby com uma intervenção feita pelo Davi Rezende por meio de upcycling que tem como objetivo alertar as pessoas para uma conscientização sobre os aspectos de sustentabilidade e a importância da reutilização dos objetos. No 6º andar há uma referência à nossa origem enquanto grupo português, com fotografias e poemas de autores portugueses, com uma parede toda preenchida com sardinhas feitas em cerâmica à saída do elevador e cujo projeto é da designer Mafê Stacchini. No 7º andar podemos encontrar um ambiente de street art que mistura as cores e os traços tão caraterísticos do grafite, elemento icônico de São Paulo e que foi assinado pelo Tico Canato, que transporta essa identidade para dentro dos quartos, assinando algumas telas e objetos. Já no 8º andar apelidado de ‘Andar com Fé e Axé’, encontramos alguns pontos iconográficos da Bahia que foram desenhados à mão pelo artista Elano Passos: do sertão, ao farol da Barra, ao centro histórico de Salvador, passando por tradições como a capoeira, a gastronomia, entre muitos outros, e onde também podemos encontrar a tradição das fitinhas da Igreja do Senhor do Bonfim à saída do elevador, onde foi feita uma instalação para que o hóspede possa amarrar e fazer os seus pedidos. Um dos quartos do andar tem uma intervenção feita à mão pelo artista Rogério Silva, dedicada a irmã Dulce, a primeira santa brasileira. No 9º andar encontramos dois quartos assinados pela Nah Pinheiro, trazendo como base de reflexão os elementos água e terra, numa viagem por meio das cores e do simbolismo”, conta Pedro Botelho, marketing manager do grupo.

Foto: Divulgação

O 8 º andar ganhou um complemento especial, com obras exclusivas do artista baiano Elano Passos nos quartos. “Chamei essa intervenção de ‘Quartos Cantos da Bahia’, onde trago em cada apartamento a experiência de vivenciar a percepção de um baiano sobre a sua terra”, conta Passos. São detalhes feitos à mão em diferentes tipos de material, como paredes, telas e madeira.

Dois quartos são especiais, onde o artista fez simulações da realidade em proporções reais, trazendo a arte de Passos, com seu traço marcante e essencial, gerando a sensação de um ambiente imaginário, interativo, quase tátil.  “Quis gerar uma experiência imersiva e, por que não, interativa, onde o hóspede pode deitar na cama e ver da janela o Pelourinho ou o Elevador Lacerda”, conta. Dentro do seu processo criativo, a arte vai direto da mente do artista para a tela.

Foto: Divulgação

Natureza

Já a artista plástica paulistana Nah Pinheiro diz que criar para um hotel foi uma processo muito natural. “Acho que o mais bacana é o hóspede chegar no hotel e já ter o contato com arte local, com artistas locais e de fora, sem precisar ir a um museu”, diz Nah.

Sobre o processo criativo de sua arte, Nah conta que fez um projeto pensando no que ia desenhar e onde, fez um rascunho rápido em um caderno, mas na hora de transpor para as paredes, foi direto, sem desenho, saiu pintando. Isso aconteceu também com Canato ePassos. Todos eles criaram diretamente na parede sem um rascunho como guia.

Nah Pinheiro – Foto: Divulgação

A criação de Nah foi toda intuitiva, conforme ela ia sentindo os ambientes, ia criando. Mas havia um tema muito ligado à natureza. “É lindo, tem que ver de perto para sentir o que estamos falando. Eu sabia o que queria em cada parede, esse era o limiar do planejamento, o restante apareceu de forma orgânica, fui criando”, diz Nah. “Foi tudo muito intuitivo, sentindo o momento de cada quarto, de cada ambiente”, completa.

Questionada sobre o que teria sido mais difícil, se os corredores ou os quartos, Nah diz que é complicado de dizer, porque cada uma deles tem sua característica própria. “Difícil difícil, nenhum. Foram dez dias seguidos de um mergulho em arte, foi uma imersão completa.”

Foto: Divulgação

Grafite

“O Pestana é um hotel que tem tanta história, que seria muito pequeno fazer algo dentro de um quarto apenas. E a ideia de fazer as paredes dos corredores e elevador foi aprovada”, conta Canato.

Segundo ele, em seu processo criativo o segundo passo foi escolher o tema. A ideia foi trazer a urbanidade de São Paulo para dentro do hotel, até por conta de sua localização. “A experiência do hospede tinha de ser algo que ele se encontrasse em uma metrópole que está entre as mais importantes da street art do mundo. Foi aí que veio essa história de trazer essa identidade do grafite, os desenhos, as letras, as cores”, diz.

Tico Canato – Foto: Reprodução/Instagram/@ticocanato

Um fato interessante é que, além do próprio Pestana, os artistas são marcados nas postagens dos hóspedes. “Semanalmente, eu recebo marcações de pessoas que se hospedam lá, isso é muito legal”, conta Canato.

Em sua arte, o grafiteiro usou 100% spray, e como já dito, nada foi desenhado antes nas paredes. Canato, inclusive, fez uma poltrona e uma TV, além de um dos elevadores, cuja experiência de viagem de um andar para outro torna-se uma coisa psicodélica, com luz neon. Ele conta que tudo foi muito orgânico, as coisas foram acontecendo.

Foto: Divulgação

Bahia

Passos, da mesma forma, teve liberdade criativa total para produzir no 8º andar do hotel, tanto nos corredores como nos quartos, e a ideia foi trazer a Bahia para São Paulo. “Quando você entra no 8º andar e vê uma arte mais clean, todo em preto e branco, dá um choque. “Eu recebo muitas mensagens falando sobre isso, sobre esse choque cultural e artístico”, diz.

Sobre criar para um hotel, o artista baiano diz que o primeiro passo é entender que o local vai receber muitas pessoas, com suas vivências e experiências diferentes, mas que ao mesmo tempo deveria remeter ao seu conceito que era a Bahia. “Eu pensava muito em como eu ia transportar a pessoa para a Bahia, como as pessoas iam andar naquele corredor como se fosse realmente a Bahia?”, explica. Mas se ele se questiona a respeito, sua arte disse tudo. Andar pelos corredores é uma viagem pela capital baiana. “Eu trabalhei com elementos icônicos, como o Farol da Barra, a própria Iemanjá, a Igreja do Bonfim. A preocupação foi o que levar para um hóspede em um hotel em São Paulo que remetesse à Bahia.”

E essa viagem tem uma conexão perfeita. As paredes dos corredores são como se contassem uma história que Passos criou. A segunda etapa foi levar a Bahia também para dentro dos quartos. “O mais interessante foi a liberdade criativa que eu tive. Em momento algum eu fui podado sobre o que fazer ou o que não fazer. O mais gostos foi o Pestana acreditar que o andar era da Bahia.”

Elano Passos – Foto: Reprodução/Instagram/@elanopassos

Os artistas ainda tiveram a experiência de pintar com hóspedes passando pelos corredores, como no caso de Passos, que fez uma imersão de dez dias, pintando madrugada adentro. “Já na segunda fase, que foram os quartos e aconteceu durante o isolamento social, o andar foi também vazio para que a gente pudesse trabalhar.”

O Pestana São Paulo oferece uma completa área de lazer com sauna, spa, academia e o quiosque cervejeiro. Para completar a experiência, a gastronomia fica por conta da cozinha contemporânea do Cais da Ribeira, cuja carta é assinada pelo chef Norberto Santos.

Para quem procura espaço para evento social ou corporativo, o hotel dispõe de um amplo centro de convenções para até 1.200 pessoas.Endereço: Rua Tutóia, 77, Jardins, São Paulo, SP
www.pestana.com