GKay usa óculos Chilli Beans, com blusa Lu Monteiro, saia M.Leal, chapéu Graciella Starling e sapatos Tod’s – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

Uma dica: mentalize o jeitão espalhafatoso, o riso solto, a fala forte e arrastada, ao ler cada frase dita por Gessica Kayane, a GKay, nesta matéria. “Fora das câmeras, eu sou como vocês que estão lendo esta entrevista. Uma mulher que tem seus desejos, suas loucuras, suas manias.”

É assim que nossa personagem de capa descreve sua personalidade escondida fora da internet – o lugar que a deixou famosa, mudando não só a sua vida, mas a de toda a família. Espontânea e intensa, como boa sagitariana que é, a humorista, influenciadora digital e atriz de 27 anos, que está sempre com a agenda agitadíssima, conseguiu uma brecha nas gravações de um filme da Netflix e chegou às 7 horas da manhã, em ponto, ao estúdio de Bob Wolfenson, em São Paulo, para ser fotografada e conversar com Bazaar.

Camiseta acervo do stylist, saia MLeal, tiara Pinili e botas Salvatore Ferragamo – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

“Eu brinquei com o pessoal que trabalha comigo: ‘Será que o povo não vai desistir lá na hora, não? Chamar outra menina para a capa'”, brincou, rindo alto no camarim, enquanto dois cabeleireiros cuidavam de sua beleza, uma manicure mudava a cor de suas enormes unhas postiças, uma assessora e uma agente observavam tudo atentamente e um stylist esperava – ansioso – para vesti-la. “É uma honra.”

Gkay usa sutiã Dolce & Gabbana, calça Max Mara, choker e anéis Monte Carlo com 15% de cashback no app da Ame, tiara Pinili e sapatos Mr. Cat com 5% de cashback no app da Ame – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

Nordestina fervorosa, o sotaque de GKay é a segunda coisa que você nota ao estar no mesmo ambiente que ela. Só fica atrás de seu jeito engraçado e natural que preenche o ambiente logo de cara. Ao conhecer a influenciadora, que já acumula quase 10 milhões de seguidores só no Instagram e 7,5 milhões no TikTok, você entende de bate-pronto por que o humor entrou na sua vida.

“Sempre tive esse jeito, né? Chegaram a me falar, há uns seis anos, para eu virar blogueira, mas não imaginava. Eu ando descabelada, sou doidinha”, completa. “Foi depois de ver um vídeo do meu amigo e ídolo Whindersson Nunes (igualmente humorista e nordestino) feito em uma casa simples, sem camisa, que pensei que poderia ser eu mesma na internet. Me enxerguei naquilo.”

Regata Salvatore Ferragamo, saia MLeal, tiara Pinili e botas Christian Dior – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

Natural de Solânea, a 130 quilômetros da capital da Paraíba e com pouco mais de 26 mil habitantes, Gessica Kayane saiu de casa “com uma mão na frente e outra atrás, mas com muito apoio” para viver na cidade grande e fazer faculdade.

Logo de cara, as escolhas já demonstram a personalidade agitada e ansiosa da nossa personagem: foi fazer duas faculdades simultâneas – direito e relações internacionais -, e “bicos” à tarde entregando panfleto, trabalhando em lojas no shopping e recepção de eventos para ganhar a vida. “Sempre amei estudar, sempre fui muito estudiosa.”

Quando começou a se aventurar no YouTube – onde segue ativa e com mais de 1,2 milhão de inscritos -, lembra que não foi fácil. “Os primeiros, nem permuta me davam”, brinca ela, que hoje trabalha com grandes cachês. “Lembro que meus primeiros ganhos eram todos na casa dos 50, 100 reais, o que para mim era muito dinheiro, mesmo porque eu não tinha. Passava 3 horas no sol entregando panfleto para ganhar 30 reais.”

Body Andrea Bogosian, tiara Pinili e sapatos Mr. Cat com 5% de cashback no app da Ame – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

GKay tem consciência da influência que tem, principalmente, sobre meninas e mulheres que se inspiram em sua imagem. O dia a dia dos seus conteúdos, para ela, é uma luta contínua para levar mensagens de igualdade de gênero. “Prego feminismo nas coisas que eu faço, nos meus atos. É incrível conseguir incentivar outras mulheres cada vez mais.”

Online quase em todos os momentos do seu dia, exceto quando dorme, porque coloca o celular no modo avião, ela acredita muito no poder transformador dos meios digitais. “A internet ajuda muito a se desconstruir porque vivemos em uma sociedade estruturalmente machista”, diz ela, que se declara feminista convicta.

Por vezes, o machismo se revela em cima do trabalho da humorista por meio de nomenclaturas e críticas duras que recebe. Além de toda a base sólida de seguidores que a acompanham e de seus trabalhos como atriz, ela é comumente chamada simplesmente de “blogueira”, enquanto outros homens – que produzem conteúdos similares ao dela – já recebem o posto de humorista/ator logo de cara.

Body Dolce & Gabbana, presilha Coro, anéis Monte Carlo com 15% de cashback no app da Ame e sapatos Jimmy Choo – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

GKay atribui a isso o fato de ela não seguir o estereótipo criado em cima de mulheres engraçadas e humoristas. “Muitos olham para o que eu faço e me taxam de ‘forçada’, de ‘sem graça’. Falam que não sou humorista, que mulher não faz humor.”

Ela conta que já chegou a perder mais de 15 mil seguidores em um período de duas horas após postar uma foto de biquíni. Mas não se abala: “Sou uma mulher livre para expor meu corpo da forma que eu quiser. É um conteúdo que gosto, faz parte de mim e é o que eu sou.”

Ela não tem medo nem papas na língua para dizer: a internet já a deixou rica. Para muito além de conseguir comprar seu vestido Versace e sua bolsa da Prada, o que mais deixa GKay feliz é a possibilidade de ajudar sua família. “Sabe a ‘tia rica do presente’? Então, eu não ligo de ser.”

De família humilde, Gessica ajuda financeiramente sua mãe, diversos tios que perderam o emprego por conta da pandemia e banca os estudos de alguns primos. “Quero pagar um curso de inglês para eles, o que eu sonhava em fazer, mas não tinha condições. Olha que coisa incrível, sabe?”, reflete, emocionada.

Vestido Lu Monteiro, tiara Graciella Starling e botas Jimmy Choo – Foto: Bob Wolfenson, com edição de moda de Yan Acioli, beleza de Krisna Carvalho, produção de moda de Lia Neiva, produção executiva de Bruno Uchoa, assistentes de fotografia Flávia Faustino e Ana Clara Pazian, manicure Rose Luna, camareira Desirée Meira e tratamento de imagem RG Imagem

Mas se engana quem pensa que ela não gasta com ela mesma. “Meu padrão de vida mudou de quatro anos para cá, sem sombra de dúvida”. O corpo e o rosto também mudaram. “Aqui, de natural, só o branquinho do olho porque o resto eu mexi”, conta, rindo alto.

Há quatro anos, largar a perspectiva de carreira em duas profissões tidas como “tradicionais” para se jogar na internet foi uma mudança brusca. Para a humorista, o apoio de seu pai – que nem entendia muito bem o mundo digital – foi imprescindível. “Ele não era de dar muito pitaco, de se meter. Do nada, um belo dia me disse: ‘Gessica, pode sair das faculdades e se jogar nesta nova profissão porque tem oportunidades na vida que a gente tem que agarrar. Se não der certo, você volta.'”

De olhos marejados, GKay se emociona ao falar sobre seu José. Ele não resistiu a um infarto fulminante em 2018. “Sumi das redes sociais por um tempo, mas acabei vendo um vídeo de um amigo humorista, o Tirulipa, e foram somente naqueles 30 segundos do meu dia que eu abri um sorriso.”

Foto: Arte Harper’s Bazaar

Depois deste episódio, o seu papel como humorista e influenciadora digital mudou. “É realmente necessário impactar pessoas e contribuir para a vida delas porque, às vezes, você pode pensar que ‘isso é só um vídeo’, mas é um afago em meio a tanta tristeza”, diz GKay. “É, literalmente, rir para não chorar. O humor é uma válvula de escape.”