Bolinhos de caranguejo com molho tártaro – Foto: Reprodução/Sophie Dahl

Por Igor Zahir

Ok, estamos no inverno e qualquer prato que passe pela nossa cabeça precisa dar aquela sensação de aconchego, de acalentar (e esquentar) nossa alma. Mas é indiscutível que certas comidas são atemporais e, com a magia do conceito de comfort food, são bem-vindas em qualquer época do ano. Esses bolinhos, feitos com sobras de caranguejo ou com a carne do marisco comprada com exclusividade para esse fim, são iguarias que se encaixam perfeitamente no que podemos chamar de culinária afetiva (sim, o molho tártaro colabora muito), além de serem a cara da gastronomia mediterrânea. Nesses dias frios, podem ser apreciados com um bom vinho, e, de quebra, ainda dá para matar um pouquinho da saudade do litoral, enquanto estamos em casa. Mais easy-going, impossível!

Ingredientes

Para os bolinhos:

250 g de carne branca de caranguejo

250 g de carne escura de caranguejo

1 colher de sopa de maionese

1 pimentão vermelho picado

Salsinha fresca picada a gosto

Manjericão italiano fresco picado a gosto

1 colher de chá de mostarda Dijon

1 colher de sopa de azeite

Sal marinho e pimenta do reino moída a gosto

Para o molho tártaro:

6 colheres de sopa de maionese

5 pepinos picados

1 colher de sopa de alcaparras

Salsa fresca picada a gosto

Suco de 1 limão

Sal e pimenta do reino moída a gosto

Modo de preparo

1 – Misture as carnes de caranguejo branca e marrom, a maionese, a salsinha, o manjericão, a pimenta vermelha e a mostarda Dijon em uma tigela. Tempere a gosto com sal e pimenta do reino.

2 – Modele os bolinhos e leve à geladeira por 20 minutos.

3 – Para o molho tártaro, misture todos os ingredientes em uma tigela e tempere com sal e pimenta do reino. Reserve.

4 – Aqueça o óleo em uma frigideira grande em fogo médio-alto. Frite os bolinhos até dourarem por igual e ficarem crocantes.

Dicas de acompanhamento: asse no forno batatas cortadas em rodela e folhas de couve cortadas bem fininhas, ambas com um fio de azeite e pimenta do reino a gosto por cima. Sirva no mesmo prato que os bolinhos e o molho tártaro.

Igor Zahir é consultor de gastronomia e vinhos, e escreve no site da Bazaar toda terça-feira.