Julio Beltrão – Foto: Iude Richele/Divulgação

Julio Beltrão é um apaixonado pelo que faz, e isso certamente é um gatilho para o sucesso do projeto “Wakanda Is Here”, da Mynd, agência de marketing de influência do segmento de entretenimento, cultura digital e música do País. “É fácil detectar no mercado brasileiro que a negritude não tem representantes para alavancar suas vozes, mesmo sendo importantes influenciadores”, conta Julio, em entrevista à Bazaar. Ele é head do núcleo de creators preto da Mynd.

Ele cita o resultado do estudo “Um retrato sobre Creators Pretos no Brasil”, apresentado no YOUPIX Summit 2020, que detectou que 57% dos criadores de conteúdos são brancos, 22% são pardos, 17% são pretos, 3% são amarelos e 1% são indígenas.

“Nosso trabalho é transformar os criadores de conteúdo pretos em campanhas. Não estamos falando de cotas, mas sim em inserir esse influenciador em um mercado e em um briefing que faz sentido para a personalidade dele”, explica. “Não é sobre limitar a participação dos negros para falar apenas do racismo. É sobre mostrar às marcas que essas personalidades também têm domínio em outras áreas, como lifestyle, moda, beleza e gastronomia”, exemplifica.

E o pagamento justo está incluído neste processo. “Todos os influenciadores do nosso projeto recebem valores condizentes com suas entregas e métricas.

Entre as personalidades que ele cita estão Camilla de Lucas, ex-BBB21, empoderada, com forte perfil de beleza e moda; Ale Garcia, podcaster, pai e escritor inspirador; e dona Carmem Virginia, especialista em gastronomia e proprietária do Altar Cozinha Ancestral, referência em programas como “FFF Brasil” (SBT) e o “Cozinheiros em Ação” (GNT).