Após o sucesso do álbum Watch the Throne, seu projeto com o rapper Jay-Z, Kanye West revelou pretensões ainda maiores durante a madrugada dessa quinta-feira (05.01). O controverso músico usou seu perfil no Twitter para explicar seus planos para o futuro.

Foram três horas e mais de 60 tweets para apresentar a Donda, novo empreendimento que leva o nome de sua falecida mãe, que deve misturar design, educação e as mais diversas áreas do conhecimento.

Segundo West, a Donda pretende “continuar de onde Steve Jobs parou” para “criar produtos e experiências que as pessoas querem e podem pagar” e “ajudar a simplificar e melhorar esteticamente tudo o que nós ouvimos, tocamos, provamos e sentimos”, além de “sonhar, criar, divulgar e produzir produtos impulsionado tanto pela necessidade emocional quanto a necessidade utilitária… para casar com nossos desejos e necessidades”, disse o rapper.

Teoricamente, a Donda terá 22 subdivisões comandadas por arquitetos, designers, diretores musicais, produtores, escritores, assessores, especialistas em mídias sociais, programadores de aplicativos, empresários, projetistas de carros, estilistas, DJs, designers de jogos, editores, “caras de tecnologia”, advogados, banqueiros, nutricionistas, médicos, cientistas e (ufa) professores.

O primeiro projeto da empresa será lançado ainda em 2012 e tem ligação com o Brasil. Batizada de 2016 Olympic’s, a iniciativa – cuja natureza não foi revelada – foi definida como uma “semi-ficção-científica” sobre os jogos Olímpicos que serão realizados no Rio de Janeiro. West contou ainda que está em negociações para se tornar o diretor criativo do próximo filme de Os Jetsons, além de manifestar seu desejo de projetar o próxima edição do VMA, premiação da MTV em que ele criou polêmica ao interromper o discurso de agradecimento de Taylor Swift, em 2009.

West completou seu discurso dizendo que pretende ajudar a reformular o sistema educacional americano que, em sua opinião, “transforma pessoas em operários”. Em seus planos, estão uma escola de verão planejada em parceria com o diretor Spike Jonze. “Há tantos sistemas falidos, da economia ao sistema de ensino, passando pelas prisões… precisamos de especialistas para isso”, finalizou.