Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Por Karen Couto

“Para os sábios orientais, qualquer coisa que exija esforço demais não é natural. Ou as coisas acontecem naturalmente, sem desgastes, ou a pessoa está atrás de alguma coisa que não corresponde às possibilidades do momento. Se existe esforço excessivo, a pessoa pode estar tomada pelo desejo e pela obstinação. E, muitas vezes, para conquistar o objeto de desejo, ela acaba tendo atitudes insensatas como ir pelo caminho de maior atrito e de maior dificuldade.”Roberto Otsu, “A Sabedoria da Natureza: Taoismo, I Ching, Zen e os Ensinamentos Essênios”. (2006)

A busca por objetivos além dos limites pessoais, situações e metas desafiadoras é inerente ao ser humano. O nome dessa pressão ou desse estresse positivo – se é que podemos assim dizer – é “eu-estresse”. Ele funciona como combustível, permitindo-nos cumprir tarefas desafiadoras, em direção à superação. Mas, como em tudo na vida, o importante é o equilíbrio. A intensidade, a frequência, a forma de lidar, o controle e a duração da exposição ao estresse são alguns dos fatores que determinarão a sua qualidade. Pouco estresse mal administrado vira uma bola de neve; e muito estresse tem potencial para virar uma avalanche ou uma grande conquista.

O estresse em exagero provoca o aumento da produção dos hormônios relacionados a ele. É a forma que o corpo encontra de reagir. Pode causar fadiga, irritabilidade e esgotamento emocional, mental e físico. Efeito cascata e rebote. Muitas publicações citam sua relação com problemas do sistema respiratório, com o consumo excessivo de álcool, café, doces e outros estimulantes, com o comprometimento do metabolismo e com a baixa imunidade (acúmulo de infecções, herpes recorrente etc.). Isso para não mencionar o aumento da pressão sanguínea e dos problemas cardiovasculares, os distúrbios da glândula da tireoide, gastrites nervosas e alterações digestivas (como microbiota intestinal desequilibrada, prisão de ventre e gases). Entre outros problemas estão: o esgotamento da glândula adrenal e aumento do cortisol – hormônio relacionado ao estresse, que pode provocar retenção de líquidos e de glicose, resistência aos efeitos da insulina, distúrbios alimentares como a desnutrição e a obesidade e outros – ansiedade, insônia, cansaço, agressividade, depressão, pânico, infertilidade, osteoporose, tensões musculares e hérnias. Pessoalmente já sofri alguns desses desconfortos, e quem não?

Um dos melhores conselhos aos estressados: beba água. O estresse aumenta a desidratação e vice-versa! Outro conselho: se você se considera uma pessoa irritada em demasia, evite comer pão em excesso, as farinhas podem causar certa irritação, fadiga e mal-estar. Assim como o excesso de proteína no organismo, o consumo de farinhas em grande quantidade (especialmente as refinadas) pode comprometer a produção de serotonina, substância neurotransmissora responsável pelas sensações relacionadas ao bem-estar e ao prazer.

Por outro lado, o que importa é o equilíbrio e, se você, como eu é tarado por pães, aumente o consumo de alimentos crus, como frutas, verduras, oleaginosas, legumes, germinados e brotos, pois aumentam os níveis de serotonina.

Segue uma lista de alguns alimentos que contribuem para o bom funcionamento da microbiota intestinal, das glândulas e dos hormônios relacionados ao combate do estresse:

Abacate – Ajuda a combater irregularidades metabólicas que podem provocar ganho de peso e contribui para a desinflamação das células. Ótima fonte de gordura de qualidade – fundamental para a atividade cerebral e mineraliza os ossos. É anti-inflamatório, o que o torna um grande aliado no combate ao câncer e às celulites. É rico em fibras, portanto, ajuda no funcionamento intestinal. Se consumido à noite, dá um gás no hormônios do crescimento. Que tal um guacamole com chips glúten free no jantar?

Aipo – Os povos orientais já usavam como remédio para baixara pressão arterial e o estresse. Além de poucas calorias, possui nutrientes que acalmam. Promove o bom funcionamento dos rins e é anti-inflamatório.

Sementes de girassol – Contém cálcio, ferro e, principalmente, o magnésio, que ajuda a evitar o estresse, a depressão e a síndrome do pânico. São antioxidantes, combatem a pressão alta e o colesterol “ruim”, promovem a saúde das artérias e funcionam como relaxante muscular.

Arroz integral cateto –  Diminui o colesterol “ruim” no organismo. Contribui também para o bom funcionamento do intestino. É rico em vitamina B6 e outras do complexo B, que ajudam o corpo a liberar serotonina, aumentando o bom humor e provocando bem-estar, além de ajudar na prevenção do estresse e contribuir no combate às doenças cardíacas. Além disso, ele é depurativo e ajuda a o corpo a se regenerar das toxinas!!!

Algas – São alcalinas e limpam resíduos de toxinas. Proteicas, contêm Ômega 3 e são ricas em B12. Ricas em fibras também, o que as tornam grandes companheiras do seu intestino. São anti-inflamatórias e, sim, aliviam o estresse.

Tâmaras –  Antioxidantes, ricas em minerais e fibras. Funcionam como tranquilizantes e analgésicos naturais e, por ativar o hormônio do sono tranquilo, a melatonina, pode ajudar a prevenir insônia.

Maçã – Sono tranquilo, poderoso depurativo do sangue e alimento antiestresse. Rica em fibras e promove eliminação de toxinas e metais pesados. Regula a pressão arterial. Rica em vitamina C – antioxidante e anti-inflamatória.

Banana – Se você anda mais ansioso que o normal, aposte na banana para elevar os níveis de serotonina. Alivia e ameniza a acidez estomacal, especialmente quando cozidas no forno ou no vapor, com a casca (lave bem).

Repolho (especialmente o roxo) – Como mecanismo de reação ao estresse, o corpo produz radicais livres. Os repolhos, por serem antioxidantes, ajudam a combatê-los, contribuindo para a melhora do humor. Além disso, promovem a boa digestão, o que também aumenta o bem-estar. Antiviral e antibacteriano, fortalece os ossos e contribui para a qualidade de raciocínio.

Amêndoas – Podem ser amargas ou doces – as doces são mais indicadas para consumo. Têm magnésio de sobra e previnem alguns desconfortos como a insônia, a impaciência e a fadiga, além de contribuir para o bom funcionamento da glândula do estresse, a adrenal. São ricas em ômegas, o que fortalece nosso sistema imunológico, previne doenças cardíacas e pulmonares, melhora a concentração e a memória (são indicadas para as pessoas que sofrem da doença de Alzheimer).

Frutas vermelhas – São antioxidantes, portanto combatem o estresse. Aumentam a imunidade e é anti-inflamatória. Previne e ajuda aos que sofrem de anemia.

Laranja – Não é novidade para ninguém que ela é rica em vitamina C, então é antioxidante e combate os radicais livres e o envelhecimento precoce. Previnem o câncer e fortalece o sistema imunológico. Ricas em fibras. Evite o suco e prefira comer a fruta para evitar picos de glicemia.

Alface e folhas verde-escuras – Espinafre, brócolis e agrião são poderosos antioxidantes, além de riquíssimos em fibras e em cálcio. Anticâncer, aumentam nossas defesas e regulam os níveis de açúcar no sangue, apenas para citar alguns benefícios…Uma ótima receita para acalmar e combater a insônia são 16 folhas de alface com 1 maçã batidas no liquidificador – mas fique atento, pois, excesso de alface pode causar gases.

Sementes de gergelim – Ricas em fibra, sendo ótimas aliadas contra o colesterol “ruim” e riquíssimas em cálcio (até nove vezes mais que o leite!). Tonificam os rins, o fígado e o intestino, neutralizam toxinas e estimulam a produção de serotonina. Além disso, fornecem zinco – necessário durante os momentos de tensão, porque é aliado na metabolização dos ômegas.

Pepino: Vitaminas e minerais, diurético, hidratante e refrescante. Rico em fibras e pobre em calorias! Superalcalinizante. Recomenda-se consumi-lo por separado e com a casca para facilitar a digestão. Indicado nos casos de depressão, pressão alta e hipertensão. Previne problemas renais e regula os níveis de açúcar no sangue. Pode equilibrar a produção de hormônios que melhoram o humor e combatem o estresse! Além de tudo isso, ele ainda previne a ressaca se consumido antes de dormir.

Aspargo – Pouquíssimas calorias, rico em fibra. Ajudam o metabolismo e fortalecem o sistema imunológico. Estimulam a eliminação de toxinas pelos rins, pulmōes e intestinos. Diuréticos, anti-inflamatórios e antioxidantes. Equilibram o sistema nervosa, estabilizam o humor e melhoram a qualidade do sono.

Levedo de cerveja – O levedo de cerveja é um probiótico resultante de um processo de fermentação. Promove a eliminação de toxinas e fortalece o sistema imunológico, sendo rico em nutrientes que ajudam na qualidade do repouso e das funções cerebrais, cognitivas, digestivas e metabólicas. Se você é vegetariano, ele pode ser um grande aliado! É diabético e cardíaco? Adicione já à sua dieta!

Ginseg – O uso do ginseng entre os orientais é milenar. É excelente para fornecer energia, principalmente se você se encontra prostrado e desanimado, necessitando de ação. Ele ajuda a diminuir a ansiedade e o estresse.

Agora, repita comigo: “Eu sou o meu próprio Mestre, Eu sou o Divino em ação e sua ponderosa energia, portanto, adeus Estresse, adeus vírus, doenças e desconfortos! Que assim seja, amém!”

Karen Couto é palestrante e consultora online. É pós-graduada em Gastronomia Funcional e escritora. Seu livro “Você Pode Ser Mais Feliz Comendo” foi nominado melhor livro do ano pela revista ”Prazeres da Mesa”.  Nele, ela oferece soluções saudáveis, aborda  o tema saúde de forma integral: autoconhecimento com harmonia e bem-estar para você atingir o seu verdadeiro propósito. Instagram @karencoutooficial e @bbeeclean por um mundo mais limpo.