Foto: Pixabay

Com poucos ingredientes, os molhos têm um talento único de “temperar” com charme pratos, à primeira vista, nada atrativos. É um dos recursos mais práticos quando o objetivo é conferir sofisticação a receitas triviais do dia a dia.

São como acessórios que podem assumir o papel principal sem nenhuma timidez e com personalidade diferenciada, o que não significa complexidade. Aliás, um bom molho pode e deve ser elaborado com simplicidade, desde que com bom senso – regra válida para absolutamente todas as preparaçōes culinárias!

Algumas dicas:

1) Praticidade: Além do sal e da pimenta, da sua preferência – eu gosto do sal do himalaya ou algum regional de qualidade e a pimenta do reino preta ralada ao momento;

2) Proporção:  os molhos de salada clássicos são compostos de três partes de azeite de oliva ou outra fonte de gordura desejada combinados com uma (ou até duas, conforme o seu gosto) parte de ingredientes com acidez – suco de limão ou outro cítrico com essa característica (a casca dos limōes raladas agregam aroma (cuidado para não ralar a parte branca, ela amarga), vinagres e/ou mostardas;

3) Harmonia: um resultado harmônico requer equilíbrio entre os sabores, salgado, ácido, untuoso, picante, pungentes etc.;

4) Temperatura: no caso das saladas, os molhos podem ser mornos ou frios;

5) Textura: fique à vontade para escolher a que mais te agrada dependendo da salada com a qual vai combinar o seu molho. Cremosidade pode ser conferida ao emulsionar bem o molho agitando dentro de um pote com tampa ou com um batedor ou simplesmente um garfo.

Foto: Pixabay

Exemplos dos elementos – sabores e texturas a serem utilizados:

Gordura > azeites (oliva, uva, nozes, abacate, óleo de coco, de gergelim, manteiga ghee (clarificada) etc.;

Ácido > vinagres balsâmicos, de arroz, de frutas, da kombucha, mostardas, cítricos como o siciliano e, preferencialmente, os locais como o limão cravo  etc.;

Doce > geléias naturais, melado de cana, mel, melado de coco ou batata yacon etc;

Picante > curry em pastas, pimentas locais como a malagueta (cortá-la bem fininha) etc.

Salgado > sais (de preferência locais), molhos de soja (prefira os sem glúten e sem corantes), missôs, queijos (veganos ou aqueles maturados, pois a lactose é eliminada no processo), nutriocional yeast  etc.;

Pungente > alho, gengibre ou nabo ralados etc;

Ervas frescas (ou secas) > salsa, coentro, manjericão, cebolinha, manjerona, hortelã, azedinha, aneto etc.

Frescos > iogurte de coco, coalhadas, leite de coco  etc.;

Frutas e frutos secos > tâmaras, passas (amo as amarelas), damasco, sementes de gergelim, girassol, castanhas, amêndoas, pinolis, nozes etc.

Foto: Pixabay

Como vocês podem perceber, nem o céu é o limite e certeza que a sua geladeira guarda um leque de opçōes que você nem está dando muita “bola”…

Sugestōes (todas temperadas com sal e pimenta a gosto):

Azeite de oliva + vinagre balsâmico + limão (ou tangerina) e mel;

Azeite de oliva + limão + mostarda e salsinha;

Ghee + limão + curry verde + leite de coco + hortelã;

Azeite de oliva + limão + azeite de gergelim + sementes de girassol;

Azeite de abacate + limão + coentro + abacate amassado.

Etc. etc..

Te desejo inspiração e criatividade.

Bê, me conta como ficou? Dúvidas? Entra no DM do meu Insta que eu vou adorar te ajudar.