Manu Gavassi usa vestido Colcci, camisa Gucci e brincos Louis Vuitton – Foto: Fernando Tomaz, com direção criativa de Thiago Bastista, styling de Carol Roquuete, beleza de Krisna Carvalho, digital Retouch de Chico Duarte e produção executiva de Bruno Uchôa

Estigmatizada como ídolo teen por mais de uma década, Manu Gavassi deixou para trás o epítome da adolescência e, aos 27 anos, se tornou sinônimo de feminismo, igualdade, respeito e sororidade, entre outros adjetivos. Fatores que ilibaram sua imagem na 20ª edição do Big Brother Brasil e transformaram uma incerteza de futuro na “melhor coisa” que já lhe aconteceu.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Manu usa top Ben, saia Egrey, brincos Louis Vuitton e meia-calça Calzedonia. No cenário, perfume da Paco Rabanne (@pacorabanneparfums) – Foto: Fernando Tomaz, com direção criativa de Thiago Bastista, styling de Carol Roquuete, beleza de Krisna Carvalho, digital Retouch de Chico Duarte e produção executiva de Bruno Uchôa

“Grande chance de mudança, de amadurecimento, de fazer as pessoas entenderem quem eu sou, onde quero chegar, do que sou capaz. Isso foi muito precioso”, conta à Bazaar. Ela, que já era famosa por sua música, ganhou uma segunda chance perante o público ao aparecer – sem filtros e com direito a pay-per-view – durante três meses ininterruptos na televisão, saindo da casa mais vigiada do País na terceira colocação.

Paredão recorde

Manu veste camisa e vestido Nk Collection e brincos Louis Vuitton – Foto: Fernando Tomaz, com direção criativa de Thiago Bastista, styling de Carol Roquuete, beleza de Krisna Carvalho, digital Retouch de Chico Duarte e produção executiva de Bruno Uchôa

Em um mundo polarizado, confrontou ideais e fez história no programa ao participar do paredão que entrou para o Guinness Book pelo recorde de votos: mais de 1,5 bilhão.

A maior lição que a cantora, compositora, atriz e roteirista tirou do “retiro espiritual” foi a de se abrir ao diferente. “Quando não se tem acesso a ninguém que você ama, nada da sua realidade, do seu trabalho, tem que ver quem é na essência.”

Crê na máxima de que agora, como uma ex-BBB, pode aguentar tudo. Mas não é bem assim… Quando saiu da completa alienação para um turbilhão de informações na palma da mão, se viu em estado de choque com a nova realidade. “Foi muito difícil”, diz. “Vivi uma semana em que ninguém me reconhecia.”

Foi fundamental uma rede de apoio até pegar no celular novamente sem caçar comentários ultrajantes e difamatórios nas redes sociais (são 15 milhões de seguidores somente no Instagram) em plena madrugada.

Serendipidade

Manu Gavassi usa top
Egrey, vestido e brincos Louis Vuitton – Foto: Fernando Tomaz, com direção criativa de Thiago Bastista, styling de Carol Roquuete, beleza de Krisna Carvalho, digital Retouch de Chico Duarte e produção executiva de Bruno Uchôa

Capricorniana inveterada, adoraria que a vida fosse uma mescla de cenas roteirizadas, pontuadas por serendipidade (serendipity, em inglês), palavra que adotou como um mantra, e que serve para definir aqueles acasos que quase sempre terminam com um final feliz. “É como permitir que o inesperado aconteça, mas estando preparada para perceber o que aquilo significa”, arrisca.

Extremamente verdadeira, Manoela não tem vergonha de demonstrar fraqueza ou vulnerabilidade. Ao contrário, esse é um de seus trunfos. “Mascarar algo ou disfarçar uma dor, coloca um poder na mão de outras pessoas, que podem te manipular. Quando você assume, elas não têm (esse) poder.”

Não se arrepende, por exemplo, em ter vindo a público anunciar seu primeiro “término saudável”, o do relacionamento com o engenheiro Igor Carvalho – a quem pediu em namoro em rede nacional.

Filha do radialista Zé Luiz e da psicóloga Daniela Gavassi, Manu é uma maquininha de fazer planos. Quer estudar, conhecer novas sonoridades e trabalhar com diferentes produtores. “Sou uma menina de álbuns, de conceito, de começo meio e fim. Agora estou me dando a oportunidade de criar o álbum dos meus sonhos”, reforça.

Planos de turnê

Blazer Gucci, camiseta Colcci, brincos Chanel e luvas Minha Vó Tinha. – Foto: Fernando Tomaz, com direção criativa de Thiago Bastista, styling de Carol Roquuete, beleza de Krisna Carvalho, digital Retouch de Chico Duarte e produção executiva de Bruno Uchôa

Assim que for possível, pretende colocar na estrada a turnê “Cute but Psycho Experience”, que teve de ser adiada por conta da pandemia. Vidrada em contadores de histórias, a exemplo de Bob Dylan e da ídola Taylor Swift, na música, está interessada em novas narrativas, como a da jovem Greta Gerwig – que começou atriz e, recentemente, foi indicada ao Oscar, roteirizando e dirigindo.

Manu vem buscando fazer a diferença em cada coisa em que se envolve: seja em sua agência criativa (que tem assinado as campanhas publicitárias às quais associa sua imagem), na carreira musical, escrevendo roteiros ou nos convites que vem recebendo para atuar. “Preciso relaxar um pouco e não ser tão control freak. Você acaba perdendo oportunidades por tanto preciosismo.”

Embaixadora da Unas

Blazer Gucci, camiseta Colcci, brincos Chanel, meia-calça Calzedonia e sapatos Christian Dior – Foto: Fernando Tomaz, com direção criativa de Thiago Bastista, styling de Carol Roquuete, beleza de Krisna Carvalho, digital Retouch de Chico Duarte e produção executiva de Bruno Uchôa

Em vez de pedir mais ao universo, Manu agradece e retribui com ações concretas. Uma delas tem falado especialmente a seu coração. Ela virou uma espécie de embaixadora da Unas, Ong de apoio à comunidade de Heliópolis, na capital paulista, que atua nas áreas de educação, cultura, assistência social e direitos humanos. “Isso me inspirou muito. Saber que posso usar minha voz para conscientizar, dar visibilidade para quem está fazendo um trabalho incrível, é algo novo pra mim.”

Ao longo desta entrevista, Manu repetiu diversas vezes que “busca ser a sua melhor versão” – mas não se engane quem pensa que ela quer manter a alcunha de fada sensata, apelido que ganhou no confinamento. “A fada é sensata, meus amores, mas não é perfeita”. Manu segue em frente, na missão de ajudar sua geração a “acordar para a vida”, mesmo que isso lhe custe ser cancelada pelo tribunal da internet.