Foto: Divulgação

A influenciadora Alexandra Gurgel ainda era criança quando entendeu o estigma social de não se encaixar nos padrões estéticos da magreza e passou a alimentar ódio por seu próprio corpo. “Achava que precisava consertá-lo para começar a viver”, lembra.

Conectar-se com mulheres gordas foi o caminho da própria aceitação. Hoje, aos 31 anos, a influencer tem um canal no Youtube, o Alexandrismos, que é referência em body positive e prega o fim da gordofobia. Alexandra mudou a vida de milhares de meninas e mulheres que, como ela, passaram a aceitar – e amar – a própria imagem.

Tentativa de suicídio

Fazer de um trauma solitário uma voz ativa para libertar milhares de mulheres na mesma situação não foi um caminho fácil. Aos 13 anos, Alexandra desenvolveu transtornos alimentares. Aos 23, sua mãe lhe deu uma lipoaspiração de presente, mas ela voltou a engordar logo depois. “Comentários da minha família desencadearam diversos problemas, o que resultou na minha tentativa de suicídio. Fui socorrida e, quando acordei, entendi que tenho um propósito para estar viva”, analisa.

Com a ajuda de terapia e depois de ler “O Mito da Beleza”, de Naomi Wolf, Alexandra descobriu uma nova forma de enxergar a si mesma e o mundo. “Percebi que sofria sozinha por algo que muita gente passa, e que não existia este tipo de conteúdo no Brasil. Decidi que precisava falar.”

Youtube

Em 2015, começou a compartilhar seus primeiros vídeos no Youtube. “Tudo o que tinha de resposta na época eram comentários me acusando de fazer apologia à obesidade”, lembra. No primeiro ano, seu canal alcançou 30 mil inscritos. Hoje, são quase 500 mil.

Seu livro “Pare de Se Odiar” ficou em primeiro lugar na Amazon, logo no dia do lançamento. Atualmente, Alexandra se dedica a um novo livro e ao Movimento Corpo Livre. “Criamos uma plataforma para falar de todos os corpos e cores, porque o corpo livre vai além da gordofobia. Com ele, lutamos contra o racismo e a xenofobia, entre outros. Queremos que as pessoas se sintam acolhidas e possam, pouco a pouco, mudar seu olhar”, finaliza.