Foto: Divulgação

Não há idade para uma mulher inspirar outras mulheres. Aos 17 anos, Any Gabrielly sabe a responsabilidade que tem ao ter se tornado uma das principais vozes no mainstream brasileiro, e ao ter superado a pobreza e o preconceito para chegar onde chegou. “Às vezes, eu até esqueço de tudo o que já fiz”, diz a cantora, única brasileira entre os quinze membros do fenômeno mundial Now United, sobre sua breve, mas impactante carreira.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Nem bem chegou aos 18 anos e ela já coleciona grandes feitos em seu currículo: de destaque em um grupo internacional a dubladora da princesa Moana, dos estúdios Disney, passando por uma breve participação no famoso coral Palavra Cantada, à interpretação de uma das jovens Nala, no musical “O Rei Leão”, que passou pelo Brasil em 2013.

Mulher negra e nascida em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo, a também dançarina e modelo tem noção – mesmo com a pouca idade – da influência direta que tem sobre mulheres de diferentes gerações.

“Sinto que podemos achar inspiração em qualquer lugar, sabe? Não importa se você é mais velha e eu sou mais nova. Às vezes, posso inspirar aquela mulher a começar algo que ela sempre quis. Não tem realmente idade para você investir em uma nova paixão da sua vida”, falou em conversa à Bazaar a integrante do grupo que domina os fones de ouvidos e os corações dos adolescentes da geração Z, e que foi criado pelo produtor britânico Simon Fuller, em 2017.

O fato de ser um espelho para outras mulheres é um mix de emoções para a cabeça e o coração de Any. A cantora tem noção que, para muito além de sua carreira, toda a sua representatividade ajuda a escrever mais um capítulo na busca por uma igualdade racial e de gênero que perdura há anos. “Estou ajudando nessa batalha que temos há anos para conquistar nosso espaço e é muito importante para mim saber que eu consegui conquistar certas coisas e que outras conseguirão também”, disse.

Na contramão, toda essa influência que a jovem sabe ter em outras pessoas pode ser, por vezes, um fardo de responsabilidade que uma garota de apenas 17 anos não esteja disposta a enfrentar, sendo posta à prova diariamente diante de milhares de fãs, fragilidades pessoais e compromissos comerciais. Mesmo assim, Any enxerga que é um caminho para muito além dela mesma. “É muito importante pensar que se nós, pessoas públicas, fazemos algo errado, nós não estamos apenas manchando o nosso nome e nossa carreira, mas também toda uma luta. Eu carrego essa responsabilidade com orgulho hoje em dia”, completa.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Ocean Blue by @joaolom 💙

Uma publicação compartilhada por Any Gabrielly (@anygabriellyofficial) em

Toda esta exposição de imagem precoce pode ser algo chato e difícil de lidar. No começo, para Any, era complicado. “Quando você se depara com as responsabilidades de uma carreira, você não sabe muito bem o que fazer. Mas, a partir do momento que entendi que era só batalhar muito para sempre evoluir e fazer o bem, tudo se tornou mais natural”, diz a cantora, que busca sempre estar em contato com seus fãs pelas redes sociais.

Quase sempre online, Any busca se comunicar com seus “amigos” – assim que ela se refere à seus fãs – pelas redes sociais. “Sigo muito comunicativa com eles porque eu acho muito importante melhorar meu relacionamento, dar uma atenção”. Entretanto, ela já sente que precisa ter limites. “O ódio que existe na internet é muito bizarro. As pessoas têm 100% de certeza algo que está acontecendo na sua vida, sendo que elas nem te conhecem”, disparou, completando que tem dias que ela “dá folga para Any Gabrielly”. “As pessoas esquecem que nós, artistas, não somos robôs e que, além de tudo, isso é nosso trabalho. Você não vê ninguém trabalhando 24 horas por dia”, completou.

Mesmo com tudo isso, a brasileira realiza um de seus sonhos nos dias de hoje. Talentosa, consciente e disposta a buscar mais, Any não se importa em ser cobrada pelo tamanho que já é (e que ainda vai ser). “Estou sempre tentando evoluir para, então, entregar a melhor versão possível da Any Gabrielly”.