Fátima Pissara – Foto: Divulgação

Sabe aquela expressão “se joga”, que usamos para definir quando alguém se dedica com afinco a uma determinada tarefa? Para Fátima Pissarra ela vai muito além disso: é o seu estilo de vida. Uma mulher forte que não tem medo de novidades, de virar a carreira de cabeça para baixo e se transformar em uma empresária, fundando a Mynd, que está entre as maiores agências de marketing de influência no Brasil, com mais de 250 artistas agenciados e um poderoso projeto de inclusão.

Fátima sempre foi uma amante da tecnologia e começou a trabalhar muito cedo no mercado de telecom, bem nos primórdios dos celulares e da internet. Seu grande sonho a época era uma vaga na gigante Nokia e, com muito esforço, chegou lá. Nascida em Curitiba, no Paraná, ela é filha de pai engenheiro e rodou o Brasil na infância, passando por Maranhão, interior de São Paulo e onde quer que ele fosse chamado para realizar uma obra.

Para o ensino superior, ela optou por fazer jornalismo em Florianópolis, Santa Catarina. “Quando me formei em jornalismo, avaliei que a carreira era de baixa empregabilidade. Então fiz uma pós-graduação em marketing”, conta. Ela começou a se familiarizar bem cedo com o digital, graças à faculdade, em 1996, e concluiu seu trabalho de conclusão de curso nesta área. Depois se voltou para pesquisa de mercado e marketing digital. “Queria fazer algo na qual eu fosse precursora”, resume.

Seu primeiro emprego oficial foi em uma agência na Bahia que tinha, entre os clientes, a Telebahia e outras empresas interessadas em criar sites e se digitalizar. “Depois de um ano lá, a Telemar me contratou para montar os projetos de intranet de todos os estados nos quais atuava”, lembra. Em seguida, ela foi recrutada pela start up da BCP em São Paulo. “Eu tenho uma filosofia de que tenho de saber tudo da área que comando. Então fazia programação, a arquitetura do site, o texto”, enumera.

O sonho

O Nokia Seda Teen fez história na telefonia – Foto: Divulgação

“‘Quero trabalhar na Nokia’ era meu slogan”, conta Fátima, rindo deste momento destemido, ao enfrentar oito entrevistas para finalmente realizar o seu maior sonho. Foi ela responsável pela disseminação dos então famosos celulares coloridos patrocinado por marcas, com joguinhos e músicas que as grandes operadoras não queriam pagar para tornar os seus aparelhos mais baratos no mercado. O primeiro projeto foi vendido para a Seda, que lançava então uma linha teen. Quem viveu esta época não se esquece do Nokia Seda Teens, com músicas do NX Zero – foi um marco, com mais de 200 mil aparelhos vendidos na C&A.

Vevo

Assim, Fátima começou a conhecer cada vez mais o mundo artísticos, especialmente da música. Seu antigo chefe na Nokia fundou a Vevo no Brasil e a chamou para cuidar da operação no País. Foi aí que sua veia de empresária começou a pulsar e ela se tornou sócia do negócio. “Comecei na sala de casa, com uma amiga, e o negócio foi crescendo”.

A Mynd

“Um dia estava conversando com a Preta Gil e ela me questionou: ‘por que você não agencia artistas?’. Eu imediatamente achei aquilo impossível, mas, brincando, falei para ela ‘se você se tornar a minha sócia, eu topo’. E não é que ela topou?”, recorda Fátima sobre o nascimento da agência Mynd.

O lema da sua empresa é inclusão. Seu primeiro cliente, por exemplo, foi Pabllo Vittar. Depois do fim das operações da Vevo no Brasil, ela pode se dedicar exclusivamente à agência. “Fui criando casting na raça, ligando para cada empresário de artistas mais tocados na Vevo. Já no início da Mynd disse aos meus sócios que precisávamos ser inclusivos, ter diversidade de verdade. Temos de ter 50% de funcionários pretos e também profissionais LGBTQIA+”. Então, em 2017, ela colocou um time na rua para recrutar talentos.

“Foi assim que começamos a agenciar muitos artistas pretos, que viam que tínhamos um discurso da porta para dentro”, afirma. E se você acha que ela se acomodou, pode repensar: recentemente, Fátima apresentou ao mundo a websérie “Divers@s” (assista no IGTV da Mynd), que reúne colaboradores e famosos para compartilhar histórias de sucesso, amor e inspirar pessoas e marcas para muito além de datas comemorativas.