Mulheres que inspiram: Karlie Kloss comanda projeto feminino de tecnologia

A modelo criou o projeto Kode With Klossy

by Marcela Palhão
Foto: Arquivo Harper's Bazaar

Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

Quem olha para Karlie Kloss e enxerga apenas uma modelo, precisa olhar de novo. Nascida em St. Louis, Karlie Kloss pode ter construído uma sólida carreira no mundo da moda, mas ela não parou por aí: a top também se tornou apresentadora, empresária e filantropa. Em 2006, ela foi descoberta em um desfile em um evento de caridade e, depois de desfilar para a Calvin Klein, teve sua carreira alavancada ao ser contratada para 64 apresentações em sua primeira fashion week.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM 

Apesar de ter iniciado sua carreira aos 14 anos, Karlie nunca deixou sua paixão por tecnologia para trás e, em 2014, fez sua primeira aula de programação. Inspirada em seu interesse pelo assunto e por unir criatividade e infinitas possibilidades, a modelo decidiu lançar o projeto Kode With Klossy, em 2015.

Foto: Reprodução/Instagram/@@kodewithklossy

Foto: Reprodução/Instagram/@@kodewithklossy

Com o objetivo de empoderar garotas através da programação e de formar e impulsionar líderes no ambiente tecnológico, a iniciativa oferece acampamentos de verão gratuitos, com a duração de duas semanas, onde garotas com idade entre 13 e 18 anos aprendem conceitos sobre o design de software. Ao final das duas semanas de aulas, as estudantes criam seus próprios aplicativos ou sites usando linguagem digital, incluindo Ruby, Javascript, HTML, CSS e Swift.

“Antes da minha primeira aula de programação, a ideia de que poderia construir algo com códigos parecia aproximadamente impossível, mas, depois de algumas aulas, estava trabalhando com meus colegas para programar um drone. Percebi que, assim como arte e moda, programação envolve muita criatividade e que as mulheres que tem esse conhecimento tem o poder de moldar nosso futuro. Agora, mais do que nunca, as mulheres precisam sentar à mesa para moldar as tecnologias que estão moldando nosso mundo”, explicou Karlie.

Foto: Reprodução/Instagram/@kodewithklossy

Foto: Reprodução/Instagram/@kodewithklossy

A modelo iniciou o projeto em 2015, em que gastou cerca U$ 20 mil com 21 bolsas para que meninas participassem de um acampamento chamado Flatiron, o mesmo em que a modelo estudou. No ano seguinte, Karlie lançou seu próprio programa e contratou um time de professores, com quem desenvolveu um currículo focado em adolescentes. As aulas ocorriam entre  às 9h e 17h, por duas semanas, com um time de instrutoras e assistentes completamente formado por mulheres.

No final do acampamento, as alunas atingem uma série de realizações, incluindo a criação de aplicativos com os mais diferentes temas, como gadgets que ajudam a encontrar lugares com banheiros unissex, por exemplo. Em 2017, Sowmya Patapati, uma garota de 16 anos, liderou um grupo com três meninas do ensino médio que ganhou US$ 5 mil como prêmio de uma maratona de tecnologia. Competindo contra outros 750 participantes, as meninas criaram um aplicativo de realidade virtual que ajuda a diagnosticar e tratar déficit de atenção.

Karlie Kloss é a maior prova de que uma pessoa não deve ser julgada por apenas uma de suas ações, no caso, seu trabalho. Sua carreira de modelo não impediu que ela continuasse seguindo sua paixão por tecnologia e que criasse um projeto quem incentiva a inserção de mulheres em um mercado predominantemente masculino e que ajuda meninas a sonharem e alcançarem posições importantes em diversos setores.

Leia mais:
Mulheres que Inspiram: chef Margot Janse quer erradicar a fome de crianças na África do Sul
Mulheres que Inspiram: Angela Davis é ícone do feminismo negro
Mulheres que Inspiram: Lenny Niemeyer tem alma carioca