Mulheres que inspiram: Michelle Williams e a luta por igualdade de gênero

O discurso da atriz foi highlight no Golden Globes

by Marcela Palhão
Foto: Reprodução/Instagram/@goldenglobes

Foto: Reprodução/Instagram/@goldenglobes

O destaque que Michelle Williams tem ganhado por sua interpretação na série “Fosse/Verdon” fez com que a atriz subisse no palco de diversas premiações para aceitar troféus e homenagens, o que fez com que seu outro lado fosse apresentado ao público: o de ativista que usa seus discursos como recurso para levantar a bandeira da igualdade.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Em setembro de 2019, ao aceitar o Emmy de “Melhor Atriz” pela série, Michelle usou seu momento para falar sobre igualdade salarial, um assunto do qual a atriz foi pessoalmente atingida. Quando as acusações de assédio sexual contra Kevin Space tomaram conta das manchetes, os produtores do filme “All the Money in the World” decidiram regravar o longa, substituindo o ator por Christopher Plummer. Para isso, diversos atores tiveram que regravar algumas de suas cenas, incluindo a atriz.

Para recriar suas cenas, Michelle Williams topou trabalhar por um cachê de US$ 1 mil. Meses depois, a atriz ganhou conhecimento de que um de seus colegas, Mark Wahlberg, havia recebido US$ 1,5 milhão pelo mesmo trabalho, o que, segundo ela mesma, a deixou paralisada.

“Adivinhe só, ninguém deu bola. Isso não foi uma surpresa para mim, simplesmente reforçou minha crença de que a igualdade não é um direito inalienável e que as mulheres sempre trabalhariam tão duro por menos dinheiro, enquanto assumiam mais responsabilidades em casa. Trabalho como atriz desde que tinha 12 anos. Fui creditada pela minha indústria nos níveis mais alta e isso ainda não se traduziu como remuneração igual”, disse a atriz em uma manifestação sobre igualdade salarial.

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Golden Globes, que aconteceu neste domingo (05.01), foi outro momento visto por Michelle Williams como uma oportunidade de abrir os olhos sobre o papel da mulher atualmente. A atriz descreveu a premiação como um reconhecimento das escolhas que fez como uma atriz.

“Também sou muito grava de viver um momento em nossa sociedade onde escolhas existem. Porque como mulheres e garotas, coisas podem acontecer com nossos corpos que não são nossa escolha. Tentei o meu melhor para viver uma vida de minha própria autoria e não apenas uma série de eventos que aconteceram comigo, mas uma que poderia olhar e reconhecer minha caligrafia por toda parte – bagunçada e rabiscada, às vezes cuidadosa e precisa, mas que esculpi com minha própria mão”, disse em seu discurso.

Michelle Williams continuou dizendo que não conseguiria atingir seus objetivos se não tivesse aplicado o direito das mulheres de escolha, incluindo quando e com quem ter filhos, nos momentos em que sentia apoio para que pudesse deixar sua prioridade ser as crianças. A fala da atriz fez com que a audiência do Beverly Hilton ficasse emocionada e a apoiasse.

Falando diretamente para mulheres com mais de 18 anos, Williams disse: “Quando chegar a hora de votar, por favor, façam por seu próprio interesse. É o que os homens tem feito por anos, e é por isso que o mundo se parece tanto com eles. Mas não se esqueça, nós somos o maior órgão de votação neste país. Vamos fazer com que ele se pareça mais conosco”.

Leia mais:
Zozibini Tunzi foi a quinta mulher negra a ganhar o Miss Universo
Ana Flávia Cavalcanti usa a arte para questionar a sociedade
A trajetória humanitária de Audrey Hepburn