Laiza Moura (Viva Model) usa colar da linha LV Volt, da Louis Vuitton – Foto: Mathieu Rainaud, com styling de Tanita Rat-Patron, edição executiva de Filipa Bleck, cabelo de Nelson Haristylist, maquiagem de Amélie Moutia, direção artística Serious Wapanese e assitência de moda de Lucie Petit

Por Patricia Carta

Como diz a psicanalista Maria Homem em nossa seção “Em Foco”, há algo de muito errado em quem não se questionou nesta pandemia, faltou entender alguma coisa de fundamental. Foi com essa ideia na cabeça que registramos os disruptivos que nos chamaram a atenção em 2020.

É certo que fatores externos nos forçam à quebra de padrões. Mas, apesar de termos sido pegos de surpresa e das dificuldades enfrentadas, mudanças e inovações são sempre bem-vindas, como as que aconteceram na última edição do SPFW, que completou 25 anos exibindo vídeos de estilistas, em vez dos convencionais desfiles presenciais.

Laiza Moura (Viva Model) usa look da cruise 2021 da Louis Vuitton – Foto: Mathieu Rainaud, com styling de Tanita Rat-Patron, edição executiva de Filipa Bleck, cabelo de Nelson Haristylist, maquiagem de Amélie Moutia, direção artística Serious Wapanese e assitência de moda de Lucie Petit

Outro exemplo de resistência e força é o nosso entrevistado especial, Giorgio Armani, que nunca sucumbiu aos grandes conglomerados e foi o primeiro a realizar um desfile sem público, em fevereiro, no início da pandemia.

Também quebram paradigmas o casal Anna Stevanato e Pedro Ivo Brito e a joalheira Julia Gastin. Os três são viajantes aventureiros em busca das nossas raízes, cada um à sua maneira, e com diferentes propósitos.

Reflexões surgem ainda quando revisitamos o passado. Propomos que o façam por meio de Clarice Lispector, que completaria 100 anos. Disruptiva em seu tempo e para sempre atual, sua visão intimista revela muito sobre nós mesmos.

Valentina Sampaio veste Gucci – Foto: Karel Losenicky, com styling de Cori Amenta, edição executiva de Filipa Bleck, maquiagem de Giuseppe Giarratana, cabelo de Barbara Bertuzzi, tratamento de imagem de Petra Vokjan, assistência de fotografia de Roberto Grandi e agradecimento especial ao The Yard Hotel

Na moda, seguimos dando espaço para o novo e promovendo new faces. Laiza Moura, de Louis Vuitton na capa e no recheio, enche as páginas de frescor. Valentina, a modelo trans mais aclamada do pedaço, que protagoniza mais uma capa e editorial, reforça conquistas. Assim como Urias, também trans, que usa sua música para dar força à comunidade e, aqui, nos revela como são suas 24 horas do dia.

O empoderamento feminino e das minorias vem bem a calhar como mensagem de final de ano. Vai de encontro às previsões de Mirella Floren. A taróloga está na seção “At Work” e diz à Bazaar que 2021 será o ano de rever antigos dogmas e de adotar novas formas de nos relacionar. Alguém duvida?

Laiza Moura (Viva Model) usa look da cruise 2021 da Louis Vuitton – Foto: Mathieu Rainaud, com styling de Tanita Rat-Patron, edição executiva de Filipa Bleck, cabelo de Nelson Haristylist, maquiagem de Amélie Moutia, direção artística Serious Wapanese e assitência de moda de Lucie Petit

Sigo a dica, agradeço em carta aberta a minha equipe querida. Exemplo disruptivo mais próximo. De reinvenção, empatia e resiliência. Feliz Ano-Novo.