Foto: Reprodução/Instagram/@danipizetta

Por Daniela Pizetta

Passou o Carnaval e apareceu um vilão que anda chacoalhando nossos planos e mudando nossos hábitos para sempre. Do macro ao micro, o novo coronavírus (covid-19) está sambando na nossa cara. E o único plano possível no momento parece ser “sem planos”.

A regra agora é clara, a exemplo da China e da Itália, precisamos ficar em casa, trabalhar de casa e cancelar viagens e eventos. Com isso, a lição imediata é o quanto esnobamos nossa absoluta liberdade de ir e vir, comprar uma passagem, cruzar fronteiras, explorar culturas, conhecer pessoas e nos misturarmos com elas.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Em tempos de isolamento, quem mora em cidades menores tem algumas vantagens sobre quem está confinado em metrópoles. Mas, de modo geral, a tentação de viver em um país tropical, no qual as estações se misturam e quando o sol abre, vem torrando o coco e dourando a pele, o primeiro impulso é abrir a porta e “vazar”.

De fato, o ar leve dos trópicos ainda circula fresco por aqui e, sem comprovações científicas, nossa estação parece jogar a nosso favor. De qualquer forma, seja no interior ou na cidade, melhor ter cautela e cuidarmos não só de nós mesmos ficando em casa, mas evitar contagiar os mais vulneráveis.

Nesta batalha, o inimigo é silencioso. Por isso, confiemos na ciência e saibamos usufruir da tecnologia não só para trabalhar remotamente, mas também para encontrar distrações e sanidade mental. Por outro lado, confesso que o maior feito da tecnologia em relação aos problemas atuais, é apontar o quanto ainda dependemos uns dos outros e do mundo físico para tudo.

Estamos voltando ao básico, a natureza ainda é o centro de tudo e uma ação do outro lado do mundo, mesmo que aparentemente insignificante, pode mudar ou redefinir hábitos no planeta inteiro. Agora é hora de calma e serenidade, e o melhor a fazer é observar os ciclos e a natureza.

E quando achei loucura escrever sobre viagens neste momento, acessei lugares que certamente só minha vivência e experiências anteriores poderiam colaborar. Logo, me vejo escrevendo sobre a viagem que mais me fascina, a viagem para dentro. Assumindo publicamente que certa solitude me faz muito bem e afirmando que é possível encontrar paz no meio do caos, por isso, preparei 4 dicas para encarar este momento com uma nobre atitude, o recolhimento.

Campos de Oliva Cottage – Foto: Divulgação

1. Para quem tem tempo livre e busca a natureza. Nada de aviões, portanto, uma escapada de carro é a solução. Na era do “menos é mais”, alugue uma casinha no campo. Aqui, uma das mais charmosas que já fiquei hospedada. Localizada a menos de 3 horas de São Paulo, em Campos do Jordão, a casa é bem afastada da cidade e fica em um lugar de silêncio absoluto. Toda de madeira, no alto de uma montanha, com conforto extremo e um ar rústico e sofisticado de fazenda, por lá, vive-se simples e feliz. A propriedade, chamada Campos de Oliva Cottage, conta uma plantação de oliveiras e produz seu próprio azeite orgânico e se você tiver sorte, consegue comprar um dos melhores azeites do Brasil. A horta está aberta (também orgânica) e sempre cheia de verduras e especiarias. A cozinha da casa é equipada com absolutamente todos os utensílios para cozinhar e as noites estreladas e frescas, são incomparáveis.

Foto: Reprodução/Instagram/@gwynethpaltrow

2. Para quem está trabalhando de casa, mas precisa inspiração. A sugestão é sair dos assuntos que você lida no dia a dia. Aqui, a intenção é expandir o repertório e aprender algo novo. E se como eu, você busca um olhar profundo para o seu bem-estar através de temas curiosos e inovadores, se joga nos áudios do Goop. Uma série de conversas lideradas pela fundadora da plataforma, a atriz Gwyneth Paltrow. São papos inspiradores com filósofos, criativos, CEOs, cientistas, médicos e terapeutas, trazendo dicas e novas visões de mundo.

Cena do filme “Destino – Felicidade” – Foto: Reprodução/IMDB

3. Para quem encerrou o dia e não quer pensar em nada. É muito bom se jogar no sofá até pegar no sono e minha recomendação é assistir ao documentário “Destino – Felicidade”, que mostra a aventura de um jovem casal e seu cachorro em uma viagem do Alasca à Argentina em um ônibus transformado em casa. A fotografia é belíssima do começo ao fim e os altos e baixos da viagem são explorados com poesia e cumplicidade.

Fotos: Divulgação

4. E para viajar longe, três livros que irão mudar a sua vida. Estou lendo todos ao mesmo tempo, mas cada um eleva um espírito diferente. “Minha Vida na Estrada” da feminista Gloria Steinem, é um verdadeiro material humano e cheio de alma. Com humor e coração escancarado, Gloria relata suas andanças pelos Estados Unidos, narrando de forma suave e delicada os ensinamentos de vida absorvidos enquanto rodava o país como ouvinte. “Operação Abafa”, do jornalista Ronan Farrow, filho de Mia Farrow, conta a história secreta das táticas de intimidação usadas por homens poderosos para ameaçar jornalistas e silenciar as vítimas de abuso que, unidas, desencadearam o movimento global #metoo. “A Menina da Montanh”a, de Tara Westoever, relata a trajetória real da americana que pisou em uma sala de aula pela primeira vez aos 17 anos até a conquista do doutorado em Cambridge. Como podem ver, ficção não é muito minha praia :).