Foto: Arquivo Harper’s Bazaar

O Dia dos Namorados, independentemente de quarentena ou isolamento social, é uma data que remete ao amor. Quando pensamos em comemorar a data, uma clássica bebida vem à mente. Corta para a mitologia grega: Baco, fruto do relacionamento entre Zeus e uma simples mortal, se tornou o deus do vinho, e é lembrado por promover os festejos, mas também a paz entre os homens.

Quando costuramos essas histórias, podemos dizer que o vinho, elixir da paixão, cabe naquele clichê da internet: afinal, um casal apaixonado com sua taça de vinho, não quer guerra com ninguém.

Pensando nisso, o consultor de vinhos e gastronomia Igor Zahir selecionou, com exclusividade para Bazaar, algumas dicas de vinhos encontrados no market place CJ Fashion, do shopping Cidade Jardim, com uma verdadeira paleta “tom sobre tom” envolvendo o vinho: entre tintos, brancos, rosés e outros tipos, confira uma explosão de cores e sabores para aproveitar a data mais romântica do ano ao lado de quem você ama:

Tinto

Foto: Reprodução/CJFashion.com

Eventos que envolvem casais, principalmente quando comemorados em casa, combinam com aquela massa caseira, feita com toque de amor entre os temperos, e, quem sabe, um molho bolonhesa saboroso. Para harmonizar com maestria, escolha o argentino Vinho Cuvelier Los Andes Cabernet Sauvignon, produzido na região do Vale do Uco, em Mendoza. Encorpado e com aroma de especiarias, ele combina também com carnes vermelhas.

Outra opção para estes tipos de carne, além de pratos da gastronomia mediterrânea, é o Clos Des Fous Latuffa Pinot Noir, que tem sabor final de frutas vermelhas frescas e toques florais, e grande potencial de guarda.

Ou, ainda, um Barolo Terre Chiare 2013, da região de Piemonte, com aroma de flores, frutas vermelhas, notas de especiarias e toques herbáceos.

Entretanto, se o objetivo for impressionar a pessoa amada, vale investir no Edizione Collection Limited Release Cinque Autoctoni N°17, vinho de elaboração limitada a partir de vinhas plantadas em Abruzzo e Puglia, na Itália. Com notas de chocolate e toques de amoras, framboesas e ameixas maduras, combina com carne suína, carnes de caças, queijos amarelos e embutidos.

Branco

Foto: Reprodução/CJFashion.com

Mais leve e sutil, é sempre uma ótima opção para quem gosta de experiências aromatizadas e com frescor prevalecente, além de serem perfeitos para pratos mais sofisticados. Por exemplo, se a ideia é servir uma salada com salmão, filé de pescado ou queijos brancos, o Almendra Douro Branco beira a perfeição, com seu aroma de frutas de polpa branca (como pêssego e melão), e toques florais.

Já o Louis Eschenauer Branco Bordeaux, elaborado com uvas Sauvignon Blanc, cai bem com saladas de folhas verdes e molhos leves, frutos do mar e queijo branco frescal.

Outro que dá match com crustáceos é o Pinot Grigio “Fasano” IGT, que tem notas cítricas, de peras, maçãs verdes e toques florais. Com acidez equilibrada, é ideal para acompanhar entradas leves, pescados grelhados com molhos leves, tartar de salmão, culinária japonesa e queijos de cabra.

Rosé

Foto: Reprodução/CJFashion.com

Com tanino dos tintos e aroma dos brancos, esse vinho por vezes esquecido é tão versátil que deveria ser obrigatório para quem ama boas bebidas. O La Vie en Rose Rosé, com notas de rosas e lavandas, e toques de frutas brancas, como pêssegos e toques cítricos, harmoniza com saladas, carnes brancas grelhadas com molhos leves, culinária provençal e pratos da cozinha oriental.

Já o A.Mare Rosato Puglia IGP, que tem notas de frutas vermelhas frescas como morangos e framboesas, é mais fresco e equilibrado, combinando com carpaccio, sushi e sashimi, pescados e frutos do mar, além de queijos de massa mole, como os de cabra.

Para acompanhar canapés e entradas mais práticas, vale ficar de olho no Guaspari Syrah Rosé, com notas de romã, framboesa e baunilha, leve amargor no final.

E, para proporcionar uma experiência memorável, aposte no Rosé Domaines Ott, com aromas de fruta cítrica confitada, pimenta branca, damasco, pêssego branco e toques de especiarias. Irresistível com um bom risoto de quatro queijos ou de frutos do mar!

Verde

Foto: Reprodução/CJFashion.com

Que fique claro: a denominação não tem nada a ver com a tonalidade da bebida, muito menos com as castas que dão origem a ele – muita gente acha que são vinhos feitos apenas com uvas verdes, o que não tem relação, tanto que encontramos vinhos verdes brancos, vinhos verdes tintos, rosé, e assim por diante.

Com denominação de origem controlada, ele recebe esse nome devido às características da região onde é produzido, e se trata de um vinho versátil ao extremo, que caiu nas graças dos brasileiros. Por exemplo, o Pessoa Wines Vinho Verde Summer, com notas de frutas brancas, tropicais e florais, vem do norte de Portugal e é ideal para acompanhar pratos asiáticos, como sushis, ou massas com molhos branco e queijos de cabra.

Já o Val da Ucha Vinho Verde Branco, com notas de limão, grapefruit, peras, maçãs verdes e pêssegos, além de notas florais, como rosas e jasmins, é infalível com bolinhos (com bolinho de bacalhau fica divino) e petiscos em geral – ou seja, é uma ótima pedida para comemorar o Dia dos Namorados de forma mais descolada, sem grandes formalidades.

Ainda na mesma vibe vale incluir o Vinho Verde Casal Garcia, levemente frutado e muito refrescante, ótimo para harmonizar com saladas em geral, canapés frios, peixes grelhados, bacalhau e frutos do mar.

Espumantes

Foto: Reprodução/CJFashion.com

Não dá para falar em datas comemorativas, sem lembrar de champanhes e derivados, né? Com notas de flor de laranjeira, pêssego, maracujá, lichia e jambo, o Chandon Passion fica uma delícia com saladas (ou sobremesas) de frutas tropicais, salmão ao forno, mix de queijos, aperitivos, torta de frutas vermelhas e lagosta.

Para acompanhar ceviche e pratos da cultura japonesa, escolha o Garzón Extra-Brut, com final de boca marcado por notas de brioches e pão, além de toques de frutas cítricas.

E, para quem busca algo ainda mais requintado, o Miolo Millésime Brut tem selo de Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos, no Rio Grande do Sul. Produzido com uvas de Chardonnay e Pinot Noir, tem notas de pera, abacaxi, mel e pão tostado, e fica divino na harmonização de croquetes de carne e camarão, moqueca de peixe ou casquinha de siri.