Tsai Ing-Wen – Foto: Divulgação

A 180 quilômetros da China continental, Taiwan é considerado “território sagrado” do governo central de Xi Jinping. Porém, a ilhota tem autonomia administrativa e tem lutado, assim como Hong Kong, contra a mão forte do ditador chinês.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Advogada com inclinação democrática e estilo clássico (sua peça-curinga é o blazer preto), a primeira presidente mulher do local, Tsai Ing-Wen foi reeleita para o cargo, contrariando as investidas de Pequim.

Assim que a Organização Mundial de Saúde emitiu o alerta da pandemia, ela criou um centro de controle, tomou medidas para rastrear as infecções, ampliou a produção de EPIs (equipamentos de proteção individual) e tornou o uso de máscaras obrigatório.

Ela é a líder do Partido Democrático Progressista (PDP) e foi candidata a presidência em 2012, 2016 e 2020, vencendo as duas últimas.

Tsai Ing-wen nasceu em 31 de agosto de 1956 no distrito de Zhongshan em Taipei, Taiwan, sendo a mais nova de seus oito irmãos. Ela estudou direito a desejo de seu pai, e se graduou em 1978, na Faculdade de Direito da Universidade Nacional de Taiwan.

Tsai, em seguida, adquiriu mestrado em direito pela Universidade Cornell em 1980 e Ph.D. em direito pela London School of Economics, em 1984. Após o término de seus estudos retornou a Taiwan, onde lecionou na Universidade de Soochow e na Universidade Nacional de Chengchi, ambas em Taipei.

Tsai foi nomeada e atuou na Comissão do Comércio Justo e Comissão de Direitos Autorais de Taiwan, serviu como consultora do Conselho de Assuntos do Continente e no Conselho de Segurança Nacional da República da China e liderou a equipe de elaboração do estatuto que rege as relações com Hong Kong e Macau.