A estilista Adriana Bozon - Foto:Harper's Bazaar/André Brandão
A empresária Adriana Bozon – Foto:Harper’s Bazaar/André Brandão

7:15
Acordo cedo e tomo logo meu café da manhã. É coisa rápida e bem leve, geralmente uma vitamina com leite de aveia. Não tomo mais lactose, porque incha o corpo e estava me fazendo mal. Estou num detox completo, que me obriga a comer direito e nos horários corretos. Faço cinco refeições por dia, com muita fibra e nada que pese. Corro para o banho, lavo o rosto com um sabonete formulado pela minha dermatologista e coloco um pó corretivo que encontrei numa viagem que fiz a St. Barths.

7:30
Já estou pronta para a ginástica, que faço em casa duas vezes por semana. Nos outros dias, faço massagem, também em casa. Depois, não demoro para escolher roupas, pois já sei o que preciso. No inverno, uso uma calça leather jeans que desenvolvemos para a marca, um trench coat superprático e jogo uma gola ou uma pele no pescoço. É infalível. Morava nos Jardins, mas, como a sede da Ellus fica longe do bairro, em Santo Amaro, achamos melhor comprar uma casa em um condomínio perto dela. Perdia muito tempo no trânsito e não dá pra ficar mais de uma hora em um carro, né? Hoje, em cinco minutos estou no trabalho.

9:00
Chego na empresa e vou direto para minha sala, onde passo a maior parte do dia em reuniões. Sou dessas pessoas megaorganizadas. Tenho um planejamento do que vou fazer até o fim do ano, já com tudo esquematizado. Como diretora de branding da Ellus, tenho de coordenar uma equipe com mais de 100 pessoas, entre gerente de produto, marketing… É um pacote completo e tenho de pensar em todos os passos com antecedência. Carrego minha agenda de papel, apesar de usar a do celular, porque gosto de ter arquivado tudo o que vou fazer durante o dia. Às vezes, me chamam para conversar e brinco dizendo “marcou?”. Sempre tem alguém furando fila (risos).

Adriana em seus escritório - Foto:Harper's Bazaar/André Brandão
Adriana em seu escritório, na sede da Ellus, em Santo Amaro. – Foto:Harper’s Bazaar/André Brandão

10:30
Como uma fruta, geralmente um mamão. Mesmo trabalhando, procuro cuidar do corpo. Em minha sala, nunca faltam garrafinhas de água. Tomo, no mínimo, umas oito, para consumir os dois litros diários recomendados. Não sou fã de Instagram, mas costumo fazer uns quatro posts por dia das imagens que observo e acho interessantes. Em viagens posto mais.

13:00
Uso o horário do almoço para encontrar os clientes que vêm ao showroom ou para conversar com algum membro da equipe que não tenha marcado reunião. Aqui perto tem o restaurante Moinho de Pedra, que serve uma ótima comida vegetariana. Não que eu dispense um bom churrasco, mas, na semana,me policio ao máximo para seguir uma dieta saudável. O almoço é sempre descontraído, mais informal mesmo.

14:00
Volto para o escritório ou, quando tenho uma reunião externa, aproveito para passar o dia inteiro e resolver outras coisas em lugares próximos.Quando não saio, pesquiso bastante as referências que usamos nos produtos da Ellus. Ao longo da carreira, montei meu acervo particular de livros e otimizei tudo num espaço reduzido para não ficar entulhado. Em época de Fashion Rio, São Paulo Fashion Week, lançamento de vitrine e pré-coleção, tudo fica tão mais corrido que prefiro até ficar longe do iPad e do computador e focar na execução das tarefas.

O verão 2014 da Ellus - Foto:Harper's Bazaar/André Brandão
O verão 2014 da Ellus – Foto:Harper’s Bazaar/André Brandão

20:00
Se não tenho algum evento ou um jantar com amigos, é hora de ir embora. Fazia pilates, mas agora achei um lugar ótimo para começar a praticar ioga nesse horário. Vivo uma fase de encontrar um equilíbrio maior entre vida e trabalho. Estou no mundo da moda desde os 16 anos, e o corre-corre, característico da profissão, consome muito a nossa vida. Acho que cheguei em um momento de procurar o meio-termo e achar novas motivações. Acabei de fazer um MBA em Negócios e já estou procurando outro. Li um livro ótimo, chamado How Will You Measure Your Life, que fala bastante desse equilíbrio e que recomendo a todo mundo.

21:00
Jogo tênis na casa de uma vizinha que é amiga nossa. Gostamos de fazer campeonato amador, o que une bastante toda a família. A noite é um momento para cuidar da casa, do Nelson [Alvarenga, dono da Ellus e marido de Adriana] e da minha filha. A correria nos impede de estarmos sempre juntos, então, temos nosso refúgio, que é uma fazenda perto de Avaré, no interior de São Paulo, na qual passamos os fins de semana. É uma delícia sair da capital. Se ficarmos aqui, acabamos dentro de um shopping, sinônimo de trabalho.

22:00
Temos um hábito, eu admito, péssimo, de jantar na cama. Mas é lá que escolhemos como nosso ninho, o momento para a gente. Nelson e eu comemos na bandeja. É sempre algo leve, uma salada acompanhada de tartar de salmão ou uma quiche.

23:30
Antes de dormir, tomo um chá e aproveito para dar uma olhada rápida nos e-mails.

 Assine a Harper’s Bazaar