Peter Copping - Foto: Getty Images
Peter Copping – Foto: Getty Images

Em depoimento a Tara Lamont-Djite

7:30 Acordo cedo, mesmo depois de uma noite de festa. Não gosto de ficar na cama, nem nos fins de semana. Meu parceiro, Rambert [Rigaud], é meu oposto: gosta de dormir cedo e levantar tarde. Temos dois gatos siameses, Tino e Minnie, que vieram conosco para Nova York. Então, normalmente, eles precisam de atenção. Foi a única coisa que me estressou nessa mudança. Uma cidade nova, um trabalho novo, deixar Paris após 20 anos – consegui fazer tudo isso, mas trazer os gatos foi um estresse. Hoje, eles dormem na cama, entre os travesseiros. Em depoimento a Tara Lamont-Djite.

7:45 Não tomo café da manhã durante a semana. Bebo um chai chamado David Rio Tiger Spice, que descobri na Dean & DeLuca e é absolutamente delicioso. Misturo com um pouco de leite para transformá-lo numa pasta e, então, adiciono água quente. Não sei se é assim que se faz, mas é muito bom. Enquanto a chaleira está no fogo, dou uma olhada no site da Christie’s ou no Daily Mail, que é um dos meus prazeres secretos. E como Rambert também gosta de chá, faço mais um e levo para ele.

8:15 Tomo uma chuveirada. Em Paris, costumava tomar banho de banheira todo dia, mas, em Nova York, só ocasionalmente, embora goste muito. Uso todos os sabonetes da Santa Maria Novella – o de tabaco é meu favorito. Ponho um pouco de creme facial da Kiehl’s e uso o perfume Comme des Garçons Avignon como pós-barba. Sou leal a ele – é parecido com um incenso. Depois, me visto. Não tenho um uniforme: é literalmente vestir o que está limpo, nada planejado na noite anterior. Costumo pensar: “Preciso sair direto do trabalho? Há um evento?”. O melhor de Nova York é que qualquer roupa serve. É muito legal saber que posso ir a qualquer lugar e não me sentir vestido de maneira inapropriada. Uso uma bolsa de Álvaro González para ir ao trabalho, bem grande e funcional. Ele acabou de lançar a linha própria e me deu uma, algo muito generoso.

8:45 Há dois motoristas que trabalham na marca desde os tempos de Oscar de la Renta. São Thomas e Edward, e, às vezes, me contam histórias sobre ele. No carro, checo e-mails e faço telefonemas. Gosto de ligar para as pessoas. Uma das coisas mais difíceis em Nova York é a diferença de fuso com a Europa. Falar com amigos e família fica um pouco complicado.

Oscar de La Renta verão 2016 - Foto: Getty Images
Oscar de La Renta verão 2016 – Foto: Getty Images

9:00 A primeira coisa que faço ao chegar ao trabalho é dar uma olhada no meu dia, com minha assistente pessoal, Nadine. Em seguida, me encontro com a diretora do estúdio, Jenna. O papel dela é novo na empresa e baseado na estrutura de muitos estúdios europeus. Sua função é administrar e organizar tudo o que acontece lá. Por isso, conversamos muito sobre tudo, para ela saber o que é importante e o que deveríamos fazer. O número de reuniões depende muito da época do ano. Por exemplo,quando estamos selecionando tecidos, podemos levar o dia inteiro. Temos sorte de ter um ateliê dentro da grife, um verdadeiro luxo. Se estamos perto da data de um desfile e estamos fazendo fittings, deixo meu telefone na mesa. É algo que espero dos outros também. Sei que é um pouco mais difícil para eles, porque precisam ficar de olho nas coisas, mas gosto de sentir que todos estão presentes e concentrados.

13:00 Saio para almoçar só de vez em quando e acho bom quando isso acontece. Quase sempre vou ao Lambs Club com amigos que estão na cidade, minha equipe ou editores. Peço uma cobb salad. Mas, normalmente, meu destino é o Pret A Manger. Gosto de sopa no inverno, salada ou sanduíche no verão. Tudo menos frutos do mar – detesto ostras. Às vezes, no entanto, como um peixe grelhado.

15:00 Não bebo café durante o dia, apenas água quente com limão. Se tomar cafeína depois de certo horário, afeta meu sono.

20:00 Deixo o escritório bem tarde. Rambert e eu saímos mais do que ficamos em casa. Em Nova York, vamos a muitos eventos black-tie. Isso não fazia parte da nossa vida social em Paris. Eram três ou quatro eventos durante o ano, mas aqui, às vezes, há três em uma semana. Vivemos no West Village, então, se vamos comer fora, existem muitas boas opções. Gosto do En Brasserie, Cookshop e do Waverly Inn. Mas, se formos para casa, Rambert cozinha.

22:00 Ficamos algum tempo juntos, depois do jantar, e falamos sobre nosso dia. Não costumo trabalhar em casa, fora minhas pesquisas em livros e também no Pinterest. Foi Lauren Santo Domingo quem me apresentou essa rede social e, desde então, olho sempre. Dá para ficar bem perdido lá dentro – é muito inspirador. Na verdade, faço muitas pesquisas online, especialmente quando vamos tirar férias. Também gosto de olhar livros. Quando viemos de Paris, acho que trouxe umas 120 caixas com eles. Amo livros sobre decoração, figuras históricas e jardins. Se não trabalhasse com moda, definitivamente trabalharia com antiguidades ou interiores ou algo nessa linha. Também coleciono pratos de porcelana. Amo porcelana e conjuntos de chá e pratos do século 17. Toda vez que vamos a um mercado de pulgas, compro algo.

24:00 Vou para a cama uma hora depois do Rambert. Coloco meu alarme e, às vezes, tomo um chá de ervas, como alcaçuz ou erva-doce, e dou uma olhada no Instagram pela última vez. Alguns dias, porém, durmo lá para 1h30, mas não preciso de muito tempo de sono.