Roberto Cavalli com seu pastor alemão, Lupo - Foto: Reprodução/ Harper's Bazaar
Roberto Cavalli com seu pastor alemão, Lupo – Foto: Reprodução/ Harper’s Bazaa

9:00
Acordo nesse horário. Nunca, jamais usei pijama na vida. Sempre sinto que não consigo dormir se estiver vestido. Preciso estar nu. Sou igual a Marilyn Monroe: ela disse cinco gotas de Chanel nº 5; eu lhe digo dez gotas de perfume Roberto Cavalli. Vou dizer mais uma coisa. Algumas vezes na vida, quando fui parar no hospital por algum motivo, muito bobo, foi complicado para mim, porque me pediram para usar pijama. Quando acordo, meu pastor alemão, Lupo, pula na cama e começa a me beijar. Ele é um filho fantástico. Também tenho uma gata. Ela é bem pequenininha, mas come tudo. Também tenho um pássaro, um papagaio fêmea, que é grande, azul e amarelo, e fica na sala. Às vezes, me dá um oi. Vou até lá com um bolinho e ela come. Tenho vários bichos de estimação: dois cachorros, a gata, periquitos, uma iguana, um melro e dois aquários cheios de peixes. Adoro especialmente peixes exóticos. Eles são uma inspiração e aparecem nas minhas coleções. Antes, tinha um tigre pequeno e um macaco, mas não tenho mais. O macaco era maldoso.

9:15
A primeira coisa que faço é tomar uma chuveirada. Não uso muitos produtos. Quando desço, faço alguns croquis. Preparo meu café da manhã e meu chá. Daí vou para o computador e leio todas as revistas e o jornal The Herald Tribune.

9:30
Não vou para o trabalho nu. Sempre trabalho de jeans. Tenho no mínimo 50 calças jeans – todas Cavalli! Três ou quatro são minhas preferidas. Um suéter preto leve. Cueca Cavalli, algo com estampa de zebra, de oncinha. Bem apertada. Calço meias Cavalli. Tenho 40 pares de botas de caubói Cavalli – pretas, todas iguais. Minha personalidade é assim. Tenho uma bolsa Cavalli bem velha em denim e crocodilo – azul-escuro. Está quase destruída, mas eu a adoro e não consigo trocar – faz parte de mim agora. Para grandes ocasiões, tenho uma camisa linda de seda cinza e uma gravata preta. Hoje estou na Austrália, vou ao Derby de Victoria, em Melbourne, onde os convidados serão o príncipe Charles e Camilla; Nicole Kidman vai estar lá, e, é claro, Roberto Cavalli! Gosto de viajar. Fui a Papua Nova Guiné há alguns anos e conheci uma das últimas tribos de canibais que existem no planeta. Muito emocionante!

10:00
Gosto de usar diversos tipos de transporte. Adoro meu barco. A pintura do casco, obtida com tinta especial, que também usei para pintar meu helicóptero, tem uma cor maravilhosa que sempre muda. A tinta é iridescente, então, quando o sol brilha forte, o barco fica de uma cor dourado-arroxeada, e quando o sol se põe, fica azul-marinho. Costumava usar um Segway para circular por Florença no verão, mas, agora, prefiro caminhar. Também tenho vários carros grandes. Tenho uma Ferrari, mas, nos últimos seis meses, descobri o carro elétrico pequeno. Coloco Lupo no meu carro e dirijo até meu escritório em Florença. Escuto música no carro. Adoro Duran Duran, Lenny Kravitz, Rolling Stones e vários outros. São artistas fantásticos e também amigos pessoais, por isso, escutar a música deles é algo muito especial para mim. Se não, dou telefonemas. Tenho um celular Nokia Communicator bem velho. Comparado com os novos, parece peça de museu.

10:30
Vamos para o meu escritório, onde tenho de assinar papéis. Um homem importante deve fazer isso todos os dias. Tenho umas dez moças trabalhando para mim. Elas vêm me mostrar o trabalho que fizeram. Eu também crio… e é um trabalho enorme, porque preciso desenhar para a Roberto Cavalli e para a Just Cavalli. Tudo que é design, tudo que faz parte das minhas coleções, vem do meu coração, da minha mente, do meu estômago. Então, subo um andar até os estúdios de design para conversar com os estilistas. Começo a misturar as formas com as estampas e estudá-las no andar de baixo. Faz parte do meu DNA. Sinceramente, não marco compromissos no meu escritório em Florença. Não quero ter de falar com as pessoas, porque elas, às vezes, interrompem minha criação. Normalmente, quando tenho compromissos, vou para Milão, onde tenho outro escritório.

O estúdio de Cavalli é o reflexo perfeito do estilista - Foto:Reprodução/ Harper's Bazaar
O estúdio de Cavalli é o reflexo perfeito do estilista – Foto:Reprodução/ Harper’s Bazaar

13:30
Meu almoço é leve. Não vou à academia, mas tento comer alimentos saudáveis. Gosto de me sentar com as pessoas que amo para almoçar. Gosto de mozarela, uma salada saudável, para não me sentir muito pesado à tarde.

19:00
Termino o trabalho por volta das sete da noite. Paro no centro de Florença, perto da minha loja, onde tenho um bar muito pequeno, o Caffè Giacosa. É muito bacana, e muita gente vai lá para um aperitivo entre 19h e 20h.

21:00
Não gosto muito de sair à noite. Tenho de comparecer a muitos eventos por causa do trabalho, então, quando posso, prefiro ficar em casa. Os únicos dois lugares a que realmente gosto de ir quando estou de folga são meus dois restaurantes-clubes em Milão e em Dubai. Só bebo vinho tinto, quase sempre Cavalli Tenuta Degli Dei. Se janto em casa, prefiro cozinhar. Faço um ótimo branzino al sale. Mas passo a maior parte do tempo desenhando, olhando através da minha câmera. Tenho tantas câmeras… quase todos os tipos que existem; às vezes, as ganho de presente antes de chegarem às lojas. Tenho muitas bolas de cristal em casa. Minha esposa adora colecioná-las, e eu também adoro, porque são misteriosas, e foi por isso que decidi criar algumas para minha coleção para casa. E gosto de todas as mulheres. A feminilidade é a minha maior fonte de inspiração.

0:00
Vou dormir muito tarde, porque tenho um blog e passo todas as noites escrevendo nele. Daí vou para o Twitter. Tenho duas contas no Twitter. Uma é para o estilista Roberto Cavalli – falo com meus fãs e lhes dou conselhos. A outra é Roberto Cavalli falando de política: Uniti per un sogno, “juntos por um sonho”. É em italiano, porque a situação na Itália é catastrófica. No Twitter, escrevo o que penso, o que sinto. Posto muito, talvez de 20 a 35 vezes por dia.

1:30
Meu quarto é muito bonito, muito moderno. Tem uma janela grande do lado da minha cama. À direita, tenho retratos que foram pintados pelo meu avô. Quando vou para a cama, ai meu Deus, é muito particular, porque tem muitas fantasias.

Assine a Harper’s Bazaar