Fila final do verão 2015 da alta-costura da Valentino - Foto: Getty Images
Fila final do verão 2015 da alta-costura da Valentino – Foto: Getty Images

Por Luigi Torre

Tem sido recorrente nas coleções da Valentino: as roupas não apenas encantam, mas contam histórias. Ou mais, são registros de uma cultura a qual se referencia, homenageia e faz parte. Na alta-costura mais ainda. Afinal, há muito mais do que só um produto feito à mão, com todo o requinte, cuidado e qualidade do mundo. Na verdade, quando todos essas qualidades estão em seu máximo, elas transcendem o visual e o material. São imperceptíveis e se tornam algo sensorial. Por isso, neste verão 2015 couture, apresentado pelos diretores de criação Maria Grazia Chiuri e Pierpaolo Piccioli, não convém se ater aos looks que abrem a apresentação.

Sim, são incríveis exemplos técncios da preciosidade e maravilhas da alta-costura, ainda assim de maneira um tanto óbvia e evidente demais. Mais interessante são das delicadezas dos modelos etéreos que fecham o desfile. Com seus bordados e frases de romances de Pasolini, Dante e Chagall costuradas sobre seda, tule e organaza, era como se a paixão com que os designers e maison se dedicam a esta (quase) arte – com todas as características aqui já mencionadas –, tomasse corpo. Mais ainda, é como se a qualidade de moda como registro de um tempo fosse, aqui, também um livro aberto.

Confira os looks do verão 2015, desfilados nessa quarta-feira (28.01), em Paris: