Por Sylvain Justum

O verão da Osklen começa na Califórnia e termina nas paisagens características do Rio, estampadas em uma coleção que promove o embate do rústico com o tecnológico, e na qual brilham texturas praianas facilmente adaptáveis para o asfalto.

Tanto faz o litoral, a ordem é relaxar. Para tanto, modelagens amplas, saias com pinta de cangas, sarongues e vestidos de barra mullet.

Muitos shorts – de desenho jogging, como manda a tendência -, calcinhas de biquíni cominadas com tops sofisticados e prints, muitos prints de mar e coqueiros – que ficam lindos na versão preta do último bloco.

Tecidos levíssimos contrastam com os encorpados, linho e neoprene dialogam com tramas ao melhor estilo saco de batatas, e as redes viram tops assimétricos e saias envelope.

Na porção techno do desfile, metalizados e estruturas futuristas no belo bloco de brancos, óculos espaciais – mas com toque retrô – e listras em degradê remetendo ao sunset. Sopra uma brisa esportiva na coleção, de surfe, algo que está no DNA da Osklen desde sempre.

Tema mais apropriado, impossível, portanto. Destaque para os ótimos acessórios: as papetes flats e de salto alto, com tiras fininhas, que ganham franjas douradas e pedrarias, enquanto as bolsas de pele de peixe e os colares metalizados são a perfeita ligação da praia com a cidade.

O melhor look: Se você for do time rústico, fique com o de Laís Ribeiro, de calcinha em tressê e top assimétrico cru com golinha bordada. Arremate com um chapéu de palha e papete de salto nos pés. Se for do time tecnológico, prefira o total white de neoprene, composto de calça cigarrete + top comprido e estruturado.

O acessório: As papetes, sem dúvida. Escolha a sua: minimalista, de tiras pretas (ou croco) fininhas, ou a versão over, com franjas de metal dourado. Tem também as de pedrarias…