Helena usa vestido Adriana Degreas, anel Aron & Hirsch e brincos Virzi de Luca - Foto: Beto Riginik/divulgação
Helena usa vestido Adriana Degreas, anel Aron & Hirsch e brincos Virzi de Luca – Foto: Beto Riginik/divulgação

Por Ligia Carvalhosa

Helena Barbero passou a infância na fazenda da família, em Londrina (PR). Fazia o tipo moleca, sem frescuras, e nunca se preocupou muito com a aparência. Para ela, a bagagem intelectual e a determinação profissional sempre pesaram mais – valores passados pelos pais. Mesmo contra a vontade deles (a mãe é fazendeira, e o pai, médico), a filha sempre teve inclinação para a moda. “Meu interesse é genuíno, não herdei de ninguém”, diz.“Fui criada para ir atrás do que quero.” Hoje, aos 28 anos, ela é responsável pelas compras nacionais e internacionais da NK Store, multimarcas fundada por Natalie Klein há mais de duas décadas e que, desde então, é referência de moda no Brasil, com duas linhas próprias, e reduto exclusivo de marcas como Céline, Chloé e Balmain entre o eixo Rio-São Paulo.

Formada em Relações-Públicas, Helena foi além do currículo proposto pela FAAP e voou para Nova York enquanto cursava a faculdade. Queria ter aulas de moda. Foram oito meses estudando styling, negócios e empreendedorismo no Fashion Institute of Technology. Na volta, ficou quatro meses na equipe de Carlos Miele e veio o convite para integrar o time de estilo da NK. Sem know-how em desenho, entrou para o grupo que se dedica a pequisar referências para o desenvolvimento de produtos – primeiro os acessórios, na sequência o jeans, o crochê e o couro. “Trabalho com imagem. Sou observadora e prática. Analiso tudo e todos. Sempre.”

A postura rendeu a ela o cargo de compradora da multimarca, dois anos atrás. “A trajetória que percorri dentro da empresa me deu uma visão global da NK. Na minha função, é preciso entender o que se passa na moda, atrelar tendências ao estilo da loja e ter a identidade cultural do País como fio condutor. A mulher brasileira, por exemplo, gosta de marcar o corpo, mas hoje se arrisca mais e aceita proporções menos óbvias, permitindo-se usar silhuetas mais amplas”, diz. A rotina de Helena inclui seis viagens internacionais por ano na companhia de Natalie. “Ela foi e é minha verdadeira escola.Tanto no refinamento estético quanto na postura de trabalho.”A convivência é tamanha que o gosto da chefe também reverbera em seu próprio guarda-roupa.

 Helena veste camisa, R$ 980, Adriana Degreas, shorts Zara e tênis Adidas - Foto: Beto Riginik/divulgação
Helena veste camisa, R$ 980, Adriana Degreas, shorts Zara e tênis Adidas – Foto: Beto Riginik/divulgação

Saias com fendas usadas com camisetas, bodies recortados com jeans e tênis. O resultado é sexy, mas ainda assim um tanto clássico e muito funcional.“A moda não determina o que vou vestir, permeio meu estilo com as tendências da estação, mas sem perder a minha identidade. Gosto de produções neutras.” Roupas da própria NK Store e peças de grifes internacionais como Isabel Marant, AnthonyVaccarello e Stella McCartney dividem espaços com kaftans Adriana Degreas, joias Aron & Hirsch, jeans Not Your Basic Denim, além de itens garimpados em lojas de fast fashion.A coordenação final é fruto da estética apurada, motivo pelo qual as amigas a elegeram a personal stylist da turma. Helena dá conselhos de estilo e compõe o look de mulheres como a estilista Vanessa Abbud, a gerente de marketing Andrea Quinteiro e a designer Tete Feder, que mandam fotos diárias pedindo sua opinião.

Entre seus segredos de styling estão boas composições de tecidos e modelagens e um bem-vindo twist nos acessórios. “Trabalhei muito tempo criando colares, brincos e pulseirase peguei gosto.” Sua coleção é tamanha que ocupa espaço exclusivo no apartamento que mora no Itaim Bibi, em São Paulo, desde dezembro passado.“Me visto no quarto e quando estou pronta, passo por esse armário e coloco pilhas de adereços que trouxe de viagens a trabalho e de destinos zero mainstream, como Cartagena e Tailândia.” A organização impressiona: são prateleiras cobertas de brincos, pulseiras e colares.

Blusa, R$ 10.191, e saia, R$ 8.420, Balmain naNK Store, cinto vintage e brincos, R$ 21.800, Aron & Hirsch - Foto: Beto Riginik/divulgação
Blusa, R$ 10.191, e saia, R$ 8.420, Balmain na
NK Store, cinto vintage e brincos, R$ 21.800, Aron & Hirsch – Foto: Beto Riginik/divulgação

Sua casa, como um todo, confirma o gosto pela estética. Na mesa de centro da sala de estar, livros de Carine Roitfeld e Chanel disputam espaço com revistas de moda. Nas estantes, retratos de Serge Gainsbourg e Jane Birkin servem de moldura para miniaturas de sapatos da Prada – tudo milimetricamente posicionado.“Gosto de ambientes neutros, pontuados por toques de modernidade.”Mas não só.A poltrona de couro, as almofadas de pelúcia e os tapetes de pelo de vaca espalhados pelo piso de madeira de demolição revelam as raízes campestres da moça que adora um conforto.“Minha casa ainda não está pronta, quero decorar aos poucos,com objetos que de fato me encantam.” Um passo de cada vez, e sempre com os pés no chão – literalmente, porque aqui, salto alto não tem vez. “Já basta ter 1,80 m.”