Foto: Getty Images

No epicentro de uma das disputas mais observadas do mundo, nem tudo clama por atenção de maneira singular, mas pode ter potencial para entrar na conta e influenciar resultados. O estilo de Kamala Harris é um desses pontos. Longe de ser o foco dos debates em relação às eleições norte-americanas, a maneira que a senadora e candidata democrata à vice-presidência dos Estados Unidos se veste não deixa de ser responsável por adicionar valor a todo o conjunto da obra de sua campanha.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Isso quer dizer que existe um blazer ou uma cor capaz de mudar todo o rumo da votação? Não. Mas também não se pode afirmar que este mesmo blazer não influenciará de alguma forma na percepção dos eleitores sobre seus possíveis futuros representantes. Por exemplo: certamente não há dúvidas em relação ao posicionamento político de um candidato que adere ao uso correto das máscaras e usa de tecidos e cores para chamar atenção ao acessório de  proteção contra a Covid-19. Kamala é um retrato dessa política.

O estilo de Kamala Harris

Foto: Reprodução/Instagram/@kamalaharris

Quando falamos sobre política e, especialmente, o envolvimento de mulheres nesse âmbito, falamos sobre moda. Não porque “moda é coisa de mulher”, mas exatamente porque parte do eleitorado pode pensar dessa forma e uma governante consciente sobre as características do país que pretende estar à frente, sabe disso. E até deve saber disso se pretende ganhar.

De um lado, as vestimentas femininas são analisadas pelos eleitores com uma minúcia evidentemente superior as de homens, o que, além de correrem o risco de chamarem mais atenção do que a personalidade em si, podem também levantar questionamentos perigosos sobre o custo desse guarda-roupa, por exemplo. Mas de outro, ao tomar conhecimento dessa conjuntura, é também possível escolher os caminhos que serão percorridos dentro da narrativa – e Kamala parece ter clareza do quão oportuno pode se tornar esse cenário.

Neste caso, quando bem aproveitado, a moda serve como um outdoor capaz de passar mensagens que ajudam significativamente na construção da imagem e nas impressões de caráter. Mesmo assim, analisando a possível estratégia fashion de Kamala, em geral bastante discreta, se distancia de um outdoor e se aproxima daquelas publicidades programadas que aparecem nas telas dos celulares quando menos esperamos, mas quando mais é oportuno.

Foto: Reprodução/Instagram/@kamalaharris

Quanto mais simples e neutro o guarda-roupa, mais clara se mantém a mensagem da intenção de governar para todos os cidadãos norte-americanos, ainda que estes mesmos saibam por quais causas ela luta e quais são seus argumentos, visto que Kamala é primeira mulher procuradora-geral do estado da Califórnia e a primeira senadora de origem indiana e afro-americana.

Ou seja, para aquele eleitor que ainda está dividido, pode ser mais acalentador escolher uma representante que transmita uma certa empatia e uma ideia de governo centralizadora, na medida em que agrega a população como um todo.

A escolha por combinações de terninhos escuros neutros com blusas de gola redonda e brincos e colares de pérolas parece conversar com uma tentativa de chegar a esse eleitor que ainda permanece “em cima do muro”, já que consegue se projetar mais em relação ao centro. Além de que, coincidentemente ou não, suas investidas são quase sempre em tons de azul sóbrios, cor que representa seu Partido.

Foto: Reprodução/Instagram/@kamalaharris

O resultado final do visual não desagrada os democratas mais fiéis – uma vez que decidem seus votos com base em outras motivações, mas também é capaz de flertar com uma imagem de seriedade, clássica entre os conservadores e que hoje carece entre os representantes republicanos.

Para não citar especificamente as especulações sobre o possível (e polêmico) bronzeamento alaranjado no rosto do atual mandatário, Trump, é possível utilizar o vestuário da Primeira-dama estadunidense, Melania Trump, como exemplo desse contexto – que em junho de 2018 vestiu uma jaqueta verde da Zara para ir a um centro de detenção de crianças imigrantes do Texas com a seguinte frase nas costas: “Eu realmente não me importo, e você?”.

Um acessório muito importante e presente em seu visual são os colares de pérolas, que aparecem contrastando com suas roupas há mais de 35 anos, quando ainda era estudante de Artes na Howard University. Sua marca registrada ajuda a permear o consciente dos eleitores com a imagem de uma pessoa que é leal aquilo que gosta e que mantém uma postura firme sobre isso, e mais uma vez ganha pontos com a ala conservadora, já que a pérola carrega consigo o valor e a história de ser considerada a joia mais antiga do mundo. O material faz um resgate no passado e se ampara em um dos mais aparentes pilares do conservadorismo, que é a própria moda.

Mesmo assim, Kamala parece ser cuidadosa para não deixar seu próprio eleitorado desconfiado de seu caráter ao enviar mensagens confusas por meio de suas roupas. Por isso, dispensar o salto em algumas ocasiões é uma de suas apostas. Não é nenhuma grande afronta aos republicanos, de grande valor para os democratas e, principalmente as democratas.

Foto: Reprodução/Instagram/@kamalaharris

Harris é frequentemente vista com diferentes modelos do Converse Chuck Taylor All-Stars. E a escolha desse tênis mais uma vez é inteligível entre o eleitorado feminino. O combo do sapato baixo e de pouco custo com peças formais reflete a realidade de muitas mulheres do país, que trabalham em escritórios, cuidam de seus filhos, que precisam de uma opção confortável para aguentar a rotina pesada e que, exatamente por isso, precisam estar prontas para qualquer coisa.

Ainda discursando diretamente com os democratas, em setembro deste ano, a senadora e possível vice-presidente dos Estados Unidos vestiu uma camiseta branca, jeans escuro, jaqueta verde e botas Timberland para visitar um local que foi devastado por incêndios florestais na Califórnia. A combinação que foge do seu padrão usual de vestimenta – pelo menos durante aparições públicas – mostra o quanto ela está apta a realizar mudanças e pronta para fazer isso em relação a uma das causas que mais ganhou espaço dentro do debate público mundial.

Uma das características mais interessantes sobre a construção desse visual é que, ao ser projetado para não chamar a atenção (ou somente do jeito certo), o conjunto ainda é capaz de transmitir a possível falsa ideia de que não houve esforço para isso ou de que não há uma preocupação da parte de Harris em relação a esse mérito – o que consegue ser ainda mais positivo para sua imagem na política.