Por Sylvain Justum

O verão que Helô Rocha pensou para a sua Têca dá a volta ao mundo, de balão, em 80 dias e, para não perder o rumo, leva consigo a bússola que norteia praticamente toda a coleção. E tudo vira estampa.

Lá de cima, é possível avistar campos de flores, de todo os tipos e cores, que a estilista aplica bem em outra série de prints para decorar conjuntinhos de alfaiataria e vestidos de shapes variados, mas sempre curtos.

Você pode escolher entre os chemises, os plissados cheios de movimento, evasês de top estruturado ou os de desenho abajur, rígidos também. Helô usou muita seda surá, mais encorpada, semelhante à que a Hermès utiliza para a confecção de seus carrés.

Olho vivo também nas calças de cintura altíssima e comprimento nas canelas, nas camisas levinhas, quase transparentes, e nos casacos retos, com pegada de parka, tudo igualmente over printed. Sem falar em todos os ótimos acessórios. Bolsas capanga a tiracolo, ankle boots peep toe com pingentes dourados, chapeuzinhos de palha, tipo expedicionário, os óculos… Puro desejo!

O melhor look: o vestido chemise de seda preta, estampada de flores na frente e transparente atrás, desfilado por Fabiana Mayer. As ponteiras de colarinho em metal dourado são a cereja no bolo.

O acessório: difícil escolher um só, mas, em meio a tantas boas opções, ficamos com o charme dos chapeuzinhos de palha, perfeitos para expedições urbanas em dias de muito sol.