Karl Lagerfeld na entrada final do desfile de alta-costura da Chanel, em Paris - Getty Images
Karl Lagerfeld na entrada final do desfile de alta-costura da Chanel, em Paris – Getty Images

Por Sylvain Justum

A Chanel brincou com opostos em sua apresentação couture hoje cedo em Paris. Karl Lagerfeld armou cenário retrô-futurista, com direito a ruínas e painel de cidade à la Blade Runner, no Grand Palais, para emoldurar looks luxuosos, que abusam do tweed, padronagens geométricas e texturas tecnológicas. A referência ao filme de Ridley Scott passa também pelo topete da heroína Rachel (Sean Young), reconhecível nos cabelos das modelos.

A primeira metade do desfile foca em variações hi-tech dos clássicos conjuntinhos da grife, com saias de comprimentos variados – da micro à mídi, descendo até os pés em algumas entradas – e pernas cobertas por botas cuissardes altésimas. A cintura é deslocada, caída sobre o quadril e arrematada por cintos largos. É a porção “dia” da viagem ao futuro decadente.

Na segunda metade, uma profusão de vestidos decorados, com grafismos em 3D, mosaicos coloridos, bordados opulentos e transparências vaporosas. Nas formas, o fit & flare divide espaço com silhuetas arredondadas, meio 60’s, e longos tubinhos estruturados. Não é coleção das mais fáceis e óbvias, mas é puro Chanel. Tem para todas as idades e estilos, desde que o bolso esteja devidamente abastecido.