Gargantilha, R$ 930 - Foto: divulgação
Gargantilha, R$ 930 – Foto: divulgação

Por Ligia Carvalhosa

As bijoux de prata e jacarandá com banho de ródio e ouro amarelo que roubaram a cena no desfile de inverno 2016 da Coven têm nome e sobrenome: Luisa Velludo.“Foi tudo pensado a partir de conversas com a Liliane [Rebehy, diretora de criação da marca]. Ela me contou sobre o conceito da coleção, me mostrou as estampas e texturas e depois me concentrei durante um mês para desenvolver as peças. Foi uma imersão no universo do [arquiteto] “Le Corbusier”,explica, sobre a parceria que fez de seu nome uma das principais estreias da temporada nacional.“Temos amigos em comum e ela me procurou para desenhar os acessórios depois de ver algumas criações minhas”, conta. Formada em Arquitetura, decidiu investir sua expertise em formas, volumes e linhas geométricas numa àrea um tanto alheia às disciplinas que cursou: a joalheria.

Coven, inverno 2016 - Foto: divulgação
Coven, inverno 2016 – Foto: divulgação

 

Suas criações são resultado de um processo iniciado há um ano, quando diminuiu o ritmo de vida. Natural de Ribeirão Preto, Luisa deixou a cidade aos 17 anos para estudar em São Paulo.A rotina frenética, porém, não a agradou e, em 2014, acabou se mudando para o Rio de Janeiro. Foi lá que aposentou de vez as pranchetas para retomar os trabalhos manuais da infância. Desde menina, já mostrava gosto e aptidão para pintura de cerâmica, desenhos em aquarela e cursos de corte e costura.“Sempre gostei de colocar a mão na massa.A arquitetura me ensinou a noção de proporção e geometria, e, na joalheria, consigo materializar esses conceitos em um objeto.”

Não por acaso, as peças que assina para sua marca homonima têm como foco o design e não os materiais usados na confecção. É tudo de prata polida. “Os metais são a base, justa- mente por não carregarem valor agregado. Gosto da ideia de a cliente se apaixonar pelo desenho, e não pelas pedras preciosas.” Linhas limpas, camadas sobrepostas e ângulos precisos para serem usados aos montes (e descombina- dos) so sua principal assinatura – tudo feito à mão, por ela mesma, de metal ou esculpidas nacerae, depois, fundidas.