Bolsa python natural fecho metal e chifre com pele de Arraia (R$ 1. 310) - Foto: divulgação
Bolsa python natural com fecho em metal (R$ 1. 310) – Foto: divulgação

A Berloca Design, marca existente há 14 anos no mercado, traz um conceito novo apesar da bagagem nas costas. A grife surgiu com o conceito de criar peças únicas e exclusivas para que as pessoas não andassem iguais. “Sempre criei minhas roupas e acessórios como algo exclusivo e de qualidade, mas a marca realmente surgiu a partir de uma bolsa que fiz pra mim, a qual bordei à mão com pedrarias em cristais e murano. Foi um sucesso com as amigas, dai surgiu a ideia da minha irmã para começarmos a vender para elas. Começamos com uma encomenda, depois já foram mais 40 bolsas!”, conta Margareth Rangel, diretora criativa da marca.

“Nunca mais paramos, começamos com bolsas em tecido nobre bordado com pedrarias, todas feitas à mão, e fomos garimpando materiais diferentes para obter uma peças únicas. Hoje somos especializadas em couros exóticos e desenvolvemos nossas próprias ferragens com detalhes em chifre. O conceito do feito à mão é a personalidade na nossa marca”, completa.

Clutch arraia armação metal com fecho chifre (R$ 1.100) - Foto: divulgação
Clutch arraia armação metal com fecho chifre (R$ 1.100) – Foto: divulgação

Por ser um trabalho com peles exóticas, como a de cobra python, arraia, jacaré e peixes, o que acaba causando um certo tipo de receio com relação a sua origem, a Berloca obteve registro no IBAMA. “Esse registro é uma lei para poder comprar, fabricar e vender produtos em couros exóticos, justamente para proteção dos animais da caça e venda ilegal de peles,” explica Margareth. “Isso, na prática, significa muita burocracia, exigindo relatórios e documentos fiscais do que foi feito com as peles, que contêm lacre com numeração do IBAMA. A fiscalização é muito grande e é tão séria que, infringindo as regras, além de multa e fechamento da empresa pode ocorrer prisão inafiançável do responsável.”

Bolsa peixe pirarucu com salmão (R$ 1.310) - Foto : Divulgação
Bolsa peixe pirarucu com salmão (R$ 1.310) – Foto : Divulgação

Na hora de criar, cada produto é único. “Cada pele tem sua característica individual, de tamanho, de escama e coloração”. Isso acaba limitando o trabalho, mas a marca vê isso como uma boa forma de inovar. Além de clutches, bolsas cintos e sapatos, tudo isso com peles exóticas, há também coletes de pele de coelho. No fecho das peças ainda há um pedaço de chifre de boi ou de búfalo. “Temos nossos artesãos que os esculpem manualmente, transformando-os em lindas peças”.

Clutch peixe armação metal fecho chifre (R$1 .298) - Foto: divulgação
Clutch peixe armação metal fecho chifre (R$1 .298) – Foto: divulgação

Na hora de cuidar e guardar as peças é preciso ter cuidado. “Hoje os couros exóticos passam por um minucioso curtimento no qual as peles são praticamente resistentes ao tempo, o cuidado maior é guardar em lugar arejado onde não exista umidade, para não correr risco de mofar. Manchas de caneta nunca irão sair, por isso também é bom ter todo cuidado”.

Berloca
Rua Wisard, 278, Vila Madalena