Bridgerton – Foto: Divulgação

A regra é clara: quando o assunto são os dramas de época, é natural esperar visuais impressionantes, figurinos cheios de luxo e muito entretenimento. A série da Netflix “Bridgerton” serve tudo isso ao telespectador, e já ganhou o título de seriado original mais visto da história da plataforma. A produção é baseada na série de livros de mesmo nome escrita por Julia Quinn e produzida por Shonda Rhimes.

Bridgerton – Foto: Divulgação

Bridgerton se passa em 1813, durante a Regência Britânica, e aborda as fofocas e os dramas da alta sociedade inglesa. Especialmente em histórias de época, a moda tem um papel muito importante como demarcador de status social, estado civil e momento de vida, e a série aproveita ao máximo o espaço para explorar composições sofisticadas e luxuosas que colaboram para compor a trama.

Bridgerton – Foto: Divulgação

Em entrevista para a Harper’s Bazaar norte-americana, Ellen Mirojnick, figurinista da série, revelou alguns pontos em relação ao trabalho para transformar todas as peças vistas no seriado em realidade. A figurinista revelou que sua equipe desenvolveu mais de 7.500 peças no total para os figurantes e personagens principais da trama.

Bridgerton – Foto: Divulgação

O número faz referência aos itens individuais que compuseram todas as roupas completas, deixando claro o trabalho cuidadoso da equipe. Somente a personagem principal, Daphne Bridgerton, interpretada por Phoebe Dynevor, teve 104 mudanças de roupa ao longo das gravações.

Bridgerton – Foto: Divulgação

Apesar da história se passar em um período que de fato aconteceu, trata-se de uma narrativa ficcional, e isso foi levado em consideração pela equipe de figurinos. Segundo Ellen, a intenção da equipe foi criar um conjunto de peças que fossem além do primor histórico, mas que tivessem elementos modernos pontuais para despertar o desejo do telespectador pelas composições. Nisso, eles com certeza foram bem-sucedidos, já que a produção apresenta vestidos coloridos, acessórios de cabelo luxuosos e até itens emprestados pela marca de cristais Swarovski. A série segue muitas referências da década de 1813, como os vestidos com corte reto, marcado logo abaixo do busto e com silhueta que enfatizava o colo.

Bridgerton – Foto: Divulgação

Claro, o toque moderno nada tem a ver com a moda feminina com jeans e outras peças confortáveis que vemos hoje em dia. Na realidade foram incluídas nas produções algumas referências de anos no futuro do que a época em que se passa a história, como a década de 1950 e 1960, com cores saturadas, tons pastéis e estampas floridas, além dos vestidos completamente bordados, o que em 1800 não era comum, já que todo o trabalho de costura era feito à mão e as peças seriam extremamente caras, mesmo para as classes mais abastadas.

Bridgerton – Foto: Divulgação

Ao longo dos oito episódios da série, é impossível não se deslumbrar com as roupas usadas pelos personagens, com produções que colaboram de maneira importante para criar uma aura fantástica em torno da narrativa, cheia de drama e momentos divertidos. Apesar de não serem completamente fiéis ao momento histórico onde a história se passa, as peças criadas para “Bridgerton” funcionam e trazem elementos novos para os figurinos de dramas históricos.