Ken-gá – Foto: Divulgação

A dança entre isolamento social e reabertura de espaços públicos fez com que eventos precisassem repensar seus modelos diversas vezes, incluindo a 47ª edição da Casa de Criadores, que ganha versão reformulada entre os dias 23 e 27 de novembro.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

“Essa edição é um exercício para entendermos como será daqui para a frente. Mesmo quando os eventos presenciais voltarem, teremos que manter o digital muito intenso. Já se exigia o questionamento dessa migração, mas a pandemia acelerou este processo”, analisa André Hidalgo, idealizador do evento.

Para Hidalgo, o formato permite que os conteúdos cheguem mais rápido e de maneira mais democrática ao público, além de oferecer a oportunidade de apresentar o trabalho de toda a equipe envolvida em cada coleção. A Bazaar conversou com alguns criadores, inclusive os estreantes Dyony Diaz (Trash Real Oficial) e Hisan Silva (Dendezeiro), para saber o que eles vão mostrar e como encaram a mudança.

Weider Silveiro

Foto: Divulgação

Para ver
Weider Silveiro montou um casting com pessoas em estado de invisibilidade social, incluindo trans e profissionais de comunidades periféricas. Faz parte desse grupo gente que normalmente atua atrás das câmeras e especialistas que tiveram menos oportunidades no mercado.

Coleção
A apresentação foi criada com peças de duas coleções passadas que não foram para a passarela. Segundo Silveiro, as roupas têm uma pegada prática e conversam mais com o momento atual do que quando foram criadas.

Segurança
“Meus colaboradores estão voltando a trabalhar aos poucos, então não haveria tempo hábil para criar algo do zero. Não poderia colocar suas vidas em risco ao terem contato com outras pessoas, inclusive comigo, que me mantive ativo, atendendo alguns clientes”, explica o designer.

NotEqual

Foto: Divulgação

Para ver
Um vídeo poético exibe as técnicas artesanais da marca, com simbolismos de espíritos animais, numerologia e tarô. O jornalista Eduardo
Viveiros, o videomaker Paulo Raic, o designer Carlos Penna, o artista Paulo Dornelas e a stylist Bianca Perdigão criaram o projeto ao lado de Fabio Costa, diretor criativo da NotEqual.

Coleção
Uma brincadeira criada por Fabio Costa deu forma ao que a marca vai apresentar. Ele desenvolveu um mundo com folclore imaginário, pensando na natureza e seus elementos principais. O objetivo foi se expressar artisticamente por meio das roupas.

Quarentena
“Passei a questionar a necessidade de fazer produtos. Para não ficar parado, comecei a brincar com o abstrato. Enxergava rostos em tecidos dobrados e tentava levar as formas para o 3D, criando uma espécie de persona”, explica o estilista sobre a criação do projeto.

Rafael Caetano

Foto: Divulgação

Para ver
Rafael Caetano se inspirou em recursos de aplicativos como o TikTok para criar o vídeo que apresentará durante a Casa de Criadores. Amigos
da marca – que já participaram de edições anteriores – atuam no projeto.

Coleção
“Vamos homenagear o nosso público: notívagos gays de São Paulo que, carentes de festas, migraram para celebrações e eventos remotos. A
coleção é descontraída, com muito brilho, texturas e cores vibrantes”, conta o diretor criativo da marca.

Momento
Para esta coleção, a label reduziu o número de looks e usou tecidos que já estavam no estoque. Materiais naturais equivalem a 80% da coleção e estão, inclusive, em peças de beachwear.

Ken-gá

Foto: Divulgação

Para ver
Por meio de fotos e vídeos curtos de performances, a Ken-gá apresentará a coleção Brasil Surreal, que reverencia as cores e texturas do comércio popular do Brás, em São Paulo.

Coleção
Além das inspirações nas cores e texturas do comércio do tradicional bairro, a marca traz referências históricas e imagéticas dos Bate-bolas, grupos carnavalescos comuns em subúrbios cariocas. Desta forma, promove um certo escapismo da realidade atual.

Novos códigos
“Criamos golas que viram máscaras e luvas já embutidas nas peças, afinal, temos novos códigos de vestimenta que irão nos acompanhar até esse pesadelo acabar”, comenta Lívia Barros, estilista da marca.

Trash Real Oficial

Foto: Divulgação

Para ver
Por meio de um híbrido de live e filme gravado em Pirapora, onde fica o ateliê, a marca estreia na CdC falando sobre corpos trans e travestis em constante transmutação. Criadas por meio do upcycling, as peças são vistas como dispositivos para viver o cotidiano.

Percurso
Na última edição da Casa de Criadores, a Trash participou do desfile de Vicenta Perrota. Além disso, o trabalho com nomes da arte e da música, como Linn da Quebrada, chamou a atenção da organização do evento.

Marca
“Somos parte de uma comunidade que luta pelo direito de existir em suas múltiplas identidades. Diante de tudo o que estamos atravessando, temos somado forças para uma forma de trabalho mais responsável e preocupada com o meio ambiente”, explica a estilista Dyony Diaz.

Dendezeiro

Foto: Divulgação

Para ver
A Dendezeiro se apresentará pela primeira vez com um filme sobre a construção da identidade do “ser preto” no Nordeste. O projeto parte de uma perspectiva de imponência e a coleção pretende transmitir a sensação de poder, sem abrir mão do conforto.

Percurso
O estilista Isaac Silva, que é nordestino como os criadores da Dendezeiro, mostrou o trabalho da marca para André Hidalgo, idealizador da CdC. Foi assim que veio o convite para participar do evento.

Marca
“O circuito de moda nacional ficou por muito tempo inacessível ao povo nordestino. O momento é de união e fortalecimento”, diz Hisan Silva, diretor criativo.

Presença preta

Ainda que tenha conquistado destaque pelos castings democráticos e inclusivos, nas próximas temporadas, os desfiles na Casa de Criadores deverão ter, pelo menos, metade de seu elenco formado por pessoas pretas. O ajuste faz parte das ações propostas pela Célula Preta, grupo formado pelos estilistas Weider Silveiro, Théo Alexandre, Fábio Costa, Jal Vieira, Gui Amorim, Diego Gama, Hisan Silva e Petro Batalha.

O grupo também ganhou alcance em outras frentes, incluindo frutos da discussão sobre o termo Black Friday, promovida por Bazaar e Vimer. “Não tivemos que mudar a mentalidade de nenhum participante, porém, iniciamos uma construção coletiva com nosso ponto de vista sobre o que pode ser ainda mais coerente”, analisa o coletivo, que visa promover discussões de equidade.

Line-up

23 de novembro, segunda-feira, a partir das 20h
Dendezeiro
Trash
Estamparia Social
Priscilla Silva
PIM (Periferia Inventando Moda)
Fernando Cozendey

24 de novembro, terça-feira, a partir das 20h
Rafael Caetano
Estúdio Traça
Kel Ferey
Jorge Feitosa
Santista Jeanswear
NotEqual

25 de novembro, quarta-feira, a partir das 20h
Heloisa Faria
Alexandre dos Anjos
Ellias Kaleb
Dario Mittmann
Boldstrap
diegogama

26 de novembro, quinta-feira, a partir das 20h
Ken-gá
Thear
Reptilia
Shitsurei
David Lee
Weider Silveiro

27 de novembro, sexta-feira, a partir das 20h
Estileras
Vicenta Perrotta
Nalimo
Vivão
REIF.LIFE
Rober Dognani
Jal Vieira