A camisa branca (Donna Karan) agora é fininha e quase transparente - Fotos: Reprodução/Harper's Bazaar
A camisa branca (Donna Karan) agora é fininha e quase transparente – Fotos: Reprodução/Harper’s Bazaar

Por Sylvain Justum

Sabe aquelas mulheres, ícones de estilo, que dão a impressão de nunca errar no figurino? Pode apostar: elas, invariavelmente, adotam “uniformes” e se vestem de maneira low profile, com clássicos perenes ao vaivém de tendências. Pense em Jane Birkin, Audrey Hepburn ou Inès de la Fressange. É fácil visualizar nelas o little black dress perfeito, um smoking muitíssimo bem cortado, um elegante camel coat, a impecável camisa branca ou um simples cashmere cinza. São curingas que podem ser carta na manga para as mais diferentes ocasiões. Peças assim são o que chamamos de “compra esperta” na moda. As coleções de pre-fall 2014 internacionais, que estão chegando às lojas, propõem releituras desse repertório, revigorado por materiais, proporções ou detalhes novos. Pois é, clássicos agora são tendência.

Anote! Os clássicos ganham shapes atualizados e surgem como compra mais esperta da estação. Da esq. para a dir.: 10 Crosby by Derek Lam, Burberry e Alexander Lewis - Fotos"Reprodução/Harper's Bazaar
Anote! Os clássicos ganham shapes atualizados e surgem como compra mais esperta da estação. Da esq. para a dir.: 10 Crosby by Derek Lam, Burberry e Alexander Lewis – Fotos”Reprodução/Harper’s Bazaar

Parte da responsabilidade desse movimento é do recente crescimento do estilo da parisienne, que, aliado ao mood atual da moda, que prega o dress down até na festa, ganha proporções significativas nesta estação. Hedi Slimane entendeu rápi¬o a ideia e fez de seu smoking slim, com blazer curto e calça cigarette, um dos novos hits da Saint Laurent, revisitado a cada coleção. Nada mais apropriado para a grife que, lá em 1966, trouxe o Le Smoking para o closet feminino. Para atualizar o look, experimente trocar o tradicional preto pelo elegantíssimo azul-marinho da Gucci. Infalível para a noite, mas surpreendente também de dia. Outro BFF de toda mulher que se preze é o vestido preto, imortalizado por Audrey Hepburn em Bonequinha de Luxo e que ganha apelo bodycon pelas mãos da Altuzarra. O sexy também pode ser chic, por que não? A camisa branca da vez é fininha e transparente. Vá além da tricoline e invista em seda ou organza.

O smoking se desdobra em novas versões para dia e noite. Da esq. para a dir. os modelos da Gucci, Jason Wu e Prabal Gurung - Fotos: Reprodução/Harper's Bazaar
O smoking se desdobra em novas versões para dia e noite. Da esq. para a dir. os modelos da Gucci, Jason Wu e Prabal Gurung – Fotos: Reprodução/Harper’s Bazaar

A de Donna Karan equilibra corte seco e delicadeza. Se tiver de escolher um casaco neste inverno, versões maximizadas e sem mangas são opções certeiras. Michael Kors revisita o camel coat em faceta maxicolete, ótimo para exercitar o layering, enquanto o neoprodígio Cédric Charlier vai de linhas aumentadas em candy colors. E a pantalona, “a” calça nos anos 1970 e 1980, retorna em versão cropped e constrói uma nova silhueta para mulheres longilíneas. A peça é hit tanto nas passarelas e showrooms quanto nas ruas. Estas, mais o blazer de linhas masculinas – que substitui, sem problemas, a jaqueta por cima de um vestido –, a saia logo abaixo dos joelhos – fendada ou não – e os tricôs de pontos largos, com pinta de handmade, são seus novos companheiros de vida. Até o imortal tailleur de lã bouclê da Chanel ganha new look western, com cores quentes e franjas, para aqueles momentos que pedem uma produção à prova de falhas.

Assine Harper’s Bazaar