The Row, inverno 2016 - Foto: reprodução
The Row, inverno 2016 – Foto: reprodução

Por Lucas Boccalão

Com o conforto em alta, não tinha como ser diferente. Os dois modelos de sapatos mais incensados desta estação são baixos – baixíssimos até. Tipo pé no chão, mas agora com a excentricidade que dá novos choques de ânimo na moda deste verão 2016 internacional. O primeiro deles é a sapatilha de bico fino e alongado. Ela apareceu ainda tímida nas coleções resort 2016. Na Céline, o “sapatinho de bruxa” tem aparência artesanal – de couro fino, costurado com sola igualmente fina e abertura no calcanhar. Na Miu Miu, ele se mostra mais subversivo, com listrinhas à la Edie Sedgwick, meias acopladas e estampa de corpos nus (já um clássico da marca). Nos desfiles de verão 2016, virou peça-chave: ganhou toque artsy, com aplicações de metal e faixa tipo bailarina no tornozelo, na Prada; continua em novos materiais e com fivela grossa, na Céline, e aparece também em versão sci-fi, na Paco Rabanne.

O outro modelo leva a tendência boudoir aos seus pés. São os famosos chinelinhos de dormir em versão de luxo, bem como mostrou Alexander Wang em sua última coleção para a Balenciaga, com seus slippers de renda branca. Na elogiada coleção da Jil Sander, eles são de couro, como na The Row, marca das irmãs Olsen – elas mesmas as rainhas das flats, não importa a ocasião. O interessante é sempre criar um contraponto entre a leveza e a casualidade desses calçados com o resto do look: usá-los com peças mais fortes e com imagem dressed up, como casacos de alfaiataria, parcas de cetim e organza e vestidos de materiais nobres