Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Nem todas as marcas estão saindo ilesas da crise financeira que assola o mundo, a Gap, por exemplo, vai precisar se ajustar às atuais condições do mercado fechando 175 de suas lojas norte-americanas. Ainda que esteja em processo de modernização e reposicionamento, a varejista anunciou que, ainda este ano, além de reduzir o número de lojas na Europa, serão cortados 250 postos de trabalho. A decisão, segundo a companhia, visa “realinhar a organização em apoio a seu novo modelo operacional”.

“Essas decisões são muito difíceis, já que elas afetam um número de nossos valorosos empregados, mas estamos confiantes de que elas são necessárias para ajudar a criar um futuro vitorioso para nossos funcionários, clientes e acionistas”, afirmou em nota o presidente global da empresa, Jeff Kirwan.

Os outlets, as lojas de fábrica e o e-commerce não serão afetados, e a marca promete continuar mantendo presença em mais de 50 países. Os cortes vêm para cortar custos e para, mais tarde, recuperar a força econômica da marca.