Por Sylvain Justum

A cultura Maia serve de fio condutor para mais um exagero de possibilidades que a mineira Coven sabe explorar muito bem no tricô. Muitos vestidos, tubinhos de base escura e infinitos bordados coloridos, brilhos nos barrados e nas franjas – à base de canutilhos, grandes paetês e demais plaquinhas reluzentes, misturadas a uma delicada passamanaria.

Resquício apache que a cultura latina carrega. São peças práticas, prontas para ir à festa ou acender um look urbano mais abusado. Preste atenção no maxipull dourado e franjado de Alicia Kuczman.

A modelagem ganha estrutura por conta do grande número de jacquards, florais ou remetendo aos pássaros da região de Antigua, na América Central.

Em meio aos exercícios sobre as ruinas Guatemaltecas, sobra espaço para pitadas esportivas muito benvindas, que baixam o tom e injetam conforto no clima maximalista. Caso das mangas raglan dos vestidos e do bloco onde camisetões felpudos, coloridos e oversized cobrem as saias godês, combinadas aqui não mais com as mules anabela do restante do desfile, mas com ótimas botinhas baixas com detalhe de croco no calcanhar.

MELHOR LOOK: T-shirt oversized de Fabiana Mayer

ACESSÓRIO: a deliciosa bota flat com o calcanhar em textura de crocodilo

BELEZA: Cabelos cuidadosamente desgrenhados, para diminuir a pompa que o excesso de brilho poderia trazer