Busca Home Bazaar Brasil

Cynthia Rowley 60 anos: dinamismo e bom humor para driblar a idade

Estilista está sempre pronta para mais um desafio profissional

by Silvana Holzmeister
Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima - Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima – Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Pense em uma mulher dinâmica e alto-astral, sempre pronta para mais um desafio profissional, curtir um evento social ou encarar uma onda. Essa é a melhor maneira de descrever Cynthia Rowley. Aos 60 anos, a estilista norte-americana exibe uma vitalidade de dar inveja a muitos jovens. O segredo? “Não penso na minha idade. Continuo sendo a mesma aventureira que sempre fui”, sentencia.

Além das coleções para a marca que leva seu nome, ela está constantemente envolvida em projetos que traduzem seu lifestyle e paixão pela arte. Escrever livros, desenhar móveis, participar de reality shows de moda e fazer parcerias envolvendo alimentação saudável também estão no seu radar.

SIGA A BAZAAR NO INSTAGRAM

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima - Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima – Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Em breve, lança mais uma co-branding, desta vez com uma empresa de chocolate. “Me sinto uma espécie de Willy Wonka fashion”, brinca, acrescentando que está sempre procurando maneiras novas e interessantes de expandir a criatividade para outras áreas.

Nada está fora dos limites dessa leonina. É essa disposição que faz todo seu universo parecer tão conectado com a velocidade do século 21. “Eu trabalho um milhão de horas por semana e gasto a maior parte do meu tempo fazendo design”, conta à Bazaar, acrescentando que sua maior alegria é ter uma ideia e os meios para torná-la realidade.

E eles podem estar em qualquer lugar. Tanto que a estilista se orgulha de dizer “sim” a todas as novas oportunidades, grandes ou pequenas. “Foi assim que conheci pessoas interessantes e inspiradoras, lugares e acumulei experiências.”

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima - Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima – Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Esse mesmo olhar curioso a trouxe ao Brasil em 2013, para a abertura da exposição “Move!”, no Sesc Belenzinho, em São Paulo. Unindo moda e arte, a mostra organizada por Cecilia Dean, cofundadora da revista “Visionaire”, e pelo jornalista David Colman, a colocou lado a lado com nomes como Alexandre Herchcovitch, Oskar Metsavaht, Francisco Costa, Vik Muniz e Olaf Breuning, com quem, aliás, dividiu a obra interativa “Splash” – suas roupas eram estampadas ao vivo, no corpo dos visitantes, com um jato de tinta. “Amei cada minuto da minha visita. Mas fiquei apenas em São Paulo. Espero voltar e explorar mais.”

Longe dos dilemas que separam ou aproximam moda e arte, as duas áreas sempre estiveram em sintonia na carreira da estilista. Filha de um professor de Ciências e mãe artista, desde cedo foi encorajada a ser criativa. Aos 7 anos, confeccionou seu primeiro vestido e, apesar de sempre ter feito suas roupas, escolheu estudar arte no Art Institute of Chicago.

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima - Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima – Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

O destino, entretanto, tinha outros planos para ela. Um dia, quando estava no trem a caminho do colégio, foi abordada pelo comprador de uma loja de departamentos, encantado com o look que ela estava usando. Enxergando a possibilidade de construir uma carreira, Cynthia trocou o curso para Moda e depois de cidade. Nova York parecia o local perfeito para lançar sua marca.

Hoje, vê a filha Kit Keenan, 19 anos, seguir seus passos. Em junho, lançou uma coleção pocket, com seis peças, para ser vendida online, principalmente por meio do Instagram, para garotas que estão sempre atrás de novidades. “Ela está começando o curso de Cinema na USC – University of Southern California -, mas acho inspirador o modo não convencional com que ela pensa moda.”

Além de Kit, filha do primeiro casamento, com o designer de interiores Bill Keenan, Cynthia é mãe de Gigi, 13 anos, com o atual marido, o marchand Bill Powers. A família está sempre reunida, tanto em assuntos de trabalho quanto de lazer. Agora, conta as horas para embarcar rumo ao Senegal, no próximo mês. “Sempre fazemos uma longa viagem no feriado de Ação de Graças”, afirma a estilista. Talvez a mais animada do grupo. “Os verões são no balneário de Montauk, mas estou sempre pronta para uma aventura distante”, diz.

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima - Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Cynthia Rowley, em sua casa em Montauk, veste peças de sua marca homônima – Foto: Jacob + Carrol, com edição de Filipa Bleck

Isso significa seguir o fluxo, ser espontânea e, quase sempre, pegar onda. “Já surfei em Hong Kong, Austrália, Havaí e Peru”, conta, entusiasmada, acrescentando que não vai perder a chance de fazer o mesmo no país africano. Essas experiências, afirma, naturalmente dão o tom de liberdade de suas criações e renderam uma linha de moda praia e de surfe repleta de cores e recortes que funcionam inclusive no cenário urbano.

Performance, arte, viagens, esportes e música, coisas que adora, invariavelmente inspiram suas coleções. Para o Verão 2019, ela enfatiza um estilo de vida atlético, com peças que conversam diretamente com a mulher real de idades e corpos variados. Qualquer semelhança com o universo de Cynthia não é mera coincidência.

Leia mais:
Aos 82 anos, Vera Valdez encerra carreira na moda: “a partir de agora, falem de mim como atriz”
Taís Araujo: “cuido do corpo, mas não sou muito neurótica”