O estilista mezzo brasileiro Alexander Lewis, em seu ateliê londrino - Foto: divulgação/ Harper's Bazaar
O estilista mezzo brasileiro Alexander Lewis, em seu ateliê londrino – Foto: divulgação/ Harper’s Bazaar

Por Gabriella Paschoal

Pense em um coquetel que misture a malemolência baiana, a praticidade americana e o rigor da alfaiataria inglesa. Batido no shaker, o resultado é a moda cosmopolita de Alexander Lewis. Em sua terceira coleção, o jovem de 28 anos, filho de mãe brasileira e pai americano, aplica em suas criações influências dos tempos passados na casa de sua família, na Bahia, que tempera com um toque asiático (na estamparia) e inglês – a modelagem leva a precisão adquirida nos dois anos de experiência em alfaiates da Savile Row, em Londres, como Norton & Sons e E.Tautz. Lewis hoje integra um grupo de estilistas brasileiros promissores na Inglaterra, ao lado de Lucas Nascimento e Barbara Casasola.

Suas peças são marcadas pelo contemporâneo do crochê, pelas cores tropicais que acendem a monotonia urbana e pelas assimetrias de quem se diz inspirado por arquitetura e design brasileiros. Sergio Rodrigues, Claudia Moreira Salles e até as rústicas casas de tijolinhos de Barra Grande, na Bahia – onde fica a da família de Lewis –, servem de referência.
Em seu resort 2014, surfistas brasileiros (e japoneses) são a principal inspiração.

O look book do inverno 2014 de Alexander Lewis - Foto: divulgação
O look book do inverno 2014 de Alexander Lewis – Foto: divulgação

A mulher de Lewis está pronta para aproveitar o verão dos trópicos alinhada nos vestidos retos e pelos joelhos, calças e saias de linho e jacquard tingidos à mão com a técnica shibori, a mesma que pinta a seda dos quimonos. Suas malhas de tricô bicolor são hit comercial. Na preciosa coleção está também a colaboração com o sapateiro Manolo Blahnik, que produziu sandálias com a estampa oriental da linha. Fã assumido do trabalho de Blahnik, foi o próprio Lewis quem entrou em contato com ele e alinhavou a colaboração entre os dois, depois de ter encantado o designer com suas peças.

“Minha consumidora tem sex-appeal natural, meio nem aí, e não é escrava de tendências; adora viajar, é bem informada e está sempre pronta para se divertir”, define o estilista.  O clima e a arquitetura da cidade são refletidos em pecas com grafismos minimalistas. O knitwear com pegada esportiva encantou os americanos e foi comprado pelas nova-iorquinas Barneys e Saks Fifth Avenue. No Reino Unido, está no e-commerce Avenue 32, onde divide cliques com J.W.Anderson, Cédric Charlier e Roksanda Ilincic, nomes jovens igualmente fervilhantes na cena internacional.

Assine a Harper’s Bazaar