Bazaar mostra o melhor do desfile da Dior - Foto: Getty Images
Bazaar mostra o melhor do desfile da Dior – Foto: Getty Images

Por Sylvain Justum

Raf Simons segue com sua filosofia de aproximar cada vez mais a Couture da Dior do prêt-à-porter também assinado por ele para a maison francesa. Quem mais colocaria uma singela camisa branca em uma coleção de alta-costura? No desfile apresentado hoje (01.07) em Paris, ainda que não exista uma unidade visível nos looks – e tudo bem, já que esta é uma característica da alta-costura -, são perfeitamente reconhecíveis seus exercícios de volumes e silhuetas.

A assinatura de Simons se faz presente nos vestidos drapeados, com porções estratégicas de pele à mostra, nos tailleurs e vestidos de cintura marcada, bem cinquentinha, ou nos modelos com grafismos e geometrias coloridas, que ele sabe fazer tão bem. Salta aos olhos também a riqueza de texturas. Relevos pontiagudos, paetês, franjas, macramê, patchwork e plissados ajudam a construir o mood étnico – que vai da África ao Leste Europeu – da coleção.

São deslumbrantes os vestidos longos, com profusão de decotes tomara-que-caia e regata, construídos em camadas à la origami, ou em shape tubinho. Prometem fazer bonito nos red carpets. Sobra tempo para um investimento em formas arredondadas, quase futuristas, super prêt-à-porter… Veja looks selecionados na nossa galeria: